15.7 C
Munique
18.6 C
Porto
CulturaCurta metragem baseada no MEIC de Santo Tirso premiada internacionalmente

Curta metragem baseada no MEIC de Santo Tirso premiada internacionalmente

Relacionados

Penafiel – Apreensão de combustível

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de São Vicente, ontem, dia 16 de maio, apreendeu 150 litros de combustível, no concelho...

Paredes – Detidos em flagrante

No âmbito de uma denúncia a informar que um estabelecimento de restauração e bebidas, na localidade de Lordelo, estaria a ser alvo de um...

Paços de Ferreira – Rescisão de contrato

Esta manhã, em conferência de imprensa, Humberto Brito, anunciou que vai intentar ação judicial de rescisão do contrato de concessão da água e saneamento...

A curta metragem “Sculp Entre Sonhos” é uma obra ficcional baseada nas esculturas que compõem o Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC) de Santo Tirso, e é da autoria de Joaquim Pavão. A obra foi premiada internacionalmente ao ser reconhecida com o “Best Surrealism Short Film”, do “Retro Avant Garde Film Festival”, de Nova Iorque.

Este ano, o festival decorreu nos Estado Unidos da América, com o objetivo de promover todas as formas de expressão relevantes no cinema. A “Sculp Entre Sonhos”, com 23 minutos, decorre num mundo pós capitalismo onde toda a existência está determinada, todos os prolemas resolvidos e o equilíbrio é atingido. Através do sonho, as personagens mergulham numa abstração antagónica à realidade onde habitam e o confronto leva-as a questionar sobre o seu próprio papel dentro de um sistema, promovendo a saída.

Inspirando-se no MIEC, a obra foi produzida pela Fugir de Medo, Filmógrafo, Cine Clube de Avanca e contou com a participação do Festival de Cinema AVANCA. A curta metragem, da autoria de Joaquim Pavão, foi escolhida para a competição oficial dos festivais “Cine Luso Espírito Mundo Internacional Film Festival”, a qual decorrerá no final de novembro, em Bruxelas, sendo que irá ser também exibido no “3in1 Film Fest”, em Samora Correia.

A relação de Joaquim Pavão com o Museu Internacional de Escultura Contemporânea começou quando este era adolescente e frequentava o Festival internacional de Guitarra, enquanto estudante de música.

O MEIC nasceu nos anos 90, tendo a ideia partido do escultor já falecido Alberto Carneiro e, atualmente, é composto por 57 esculturas ao ar livre, da autoria de 56 escultores nacionais e internacionais, dispersas por seis polos da cidade de Santo Tirso.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido