Tempos difíceis estes que estamos a viver, mas sempre ouvimos dizer que em tempos difíceis emergem grandes líderes, aqueles que nos transmitem alguma esperança e que nos fazem ver a luz ao fundo do túnel, que tudo vai ficar bem!

 Assim, seria correto pensar que o responsável máximo do nosso concelho, Paredes, durante este período, deitasse mãos à obra e fosse acorrer a quem mais precisa. De imediato, teria delineado uma estratégia para acautelar o impacto brutal que esta pandemia está a ter e terá no nosso concelho, tanto medidas de curto como de mais longo prazo. E o que se viu? Um absoluto nada!  Pior do que isso, foi ter feito uso de um dos primeiros atos do seu mandato, ou seja, a Propaganda!!

Não sei se o nosso presidente saberá, mas o povo não vive de Propaganda! Aliás, bem analisado a “Propaganda” tira o pão da boca ao nosso povo para ser gasto diretamente na imagem do nosso presidente e do seu executivo. Teremos então que perceber porque insistem tanto na sua Propaganda, e para isso teremos que retroceder ao inicio do mandato.

Em boa verdade, foi estranho que um dos primeiros atos executivos deste executivo municipal socialista tenha sido o reforço do gabinete de comunicação, não o reforçando internamente, mas subcontratando o serviço a entidades externas pagas a peso de ouro, apenas e só para promoverem a sua imagem.

Todos vimos os milhares que foram gastos apenas em publicidade, na campanha “Uma máscara por quem nos Socorre” e os brutais outdoors colocados em vários locais do nosso concelho. Mas porque raio seria preciso criar tão grande alarido para ajudar as corporações de Bombeiros e a Cruz Vermelha?? Não seria bem mais fácil chegar lá, entregar um cheque e tirar duas fotografias para eternizar o momento? Estas sim, são instituições que merecem todo o apoio que lhes possa ser dado. 

De facto, uma grande parte da ação do executivo municipal socialista anda em volta da Propaganda. Será interessante perceber porque passará um executivo todo um mandato a gerir a Propaganda, criando a ilusão que estão em todo o lado, mas que, no fim, se resume apenas e só a isso.

Vejamos que três anos passados, nem uma única obra, daquelas que melhoram a qualidade de vida dos Paredenses foi feita! Mas, tal como na campanha eleitoral, estão constantemente a dizer que agora é que vai ser. Anúncios e mais anúncios, grandes conferências de imprensa com muitas fotos e no fim…. Nada!

Uma das obras que poderia sem sombra de dúvidas melhorar a qualidade de vida de todos nós, seria certamente o Saneamento Básico, mas mais uma vez e sendo esta uma obra que se prolongará no tempo, sem efeitos imediatos e que não traz votos, fica apenas no campo das promessas… Talvez, um dia, é que será.

Mas com o dinheiro que poderia ser já nesta fase colocado ao serviço desta importante obra, vão ser construídos muitos passeios, milhões de euros em passeios… esses sim, com obra imediata e que dá para tirar muitas fotografias para a tal Propaganda.

Já pensaram nos milhões que Paredes perderá apenas com esta operação de Propaganda? Vão ser construídos passeios de milhões, para no futuro terem que ser destruídos quando e se avançar com o Saneamento Básico.   Não teria sido preferível avançar desde já com o Saneamento, essa sim uma obra estrutural que traria mais qualidade de vida aos paredenses, mas infelizmente este não serve os interesses estratégicos de Propaganda do executivo.

 

A ilusão continua na soma do deve e do haver. Qual Malabarista dos Números, tentando justificar que 1+1=3.

Este executivo diz ter reduzido o passivo, mas não diz como o fez. Não diz que aumentou a receita via aumento da arrecadação de impostos, não diz que reduziu o património do Município, não diz que teve receitas extraordinárias de milhões e muito rapidamente o alocaram a despesas correntes. Também não diz que o investimento foi insignificante, tendo em conta o aumento das receitas.

Assim, será legitimo perguntar para onde foi tamanha diferença entre o deve e o haver. Temos visto este executivo socialista a apoiar inúmeros eventos, muitos dos quais extremamente onerosos para o Município quando o beneficio para a população é zero ou quase zero. Vemos avultadas transferências a serem feitas para algumas, e apenas algumas, entidades em que o destino final desse dinheiro é apenas e só festas e festinhas, com o intuito de promover o culto da personalidade do Sr. Presidente da Câmara.

É difícil imaginar como conseguem gastar tão avultada soma de dinheiro sem realizar investimento, apenas em despesa corrente!! Aqui há que dar o mérito, pois é preciso ser criativo, um verdadeiro Malabarista dos Números, para conseguir tal proeza.        

Assim, entendemos claramente que a prioridade não será certamente o bem-estar dos seus munícipes, mas sim a criação de uma Ilusão através da Propaganda, paga a peso de ouro, pelos bolsos de todos os paredenses.

PSD - Paredes

Pin It