Irá reabrir o ensino secundário, centros comerciais, restaurantes, cafés e pastelarias, cinemas e outros locais confinados até ao momento. Existem ainda concelhos que terão de manter o confinamento e outros que deverão dar um “passo atrás” no processo.

António Costa já revelou ao país quais os setores que abrirão na próxima semana, dando seguimento ao Plano de Desconfinamento para Portugal já conhecido.

A partir do próximo dia 19 de abril, irá reabrir:

  • Ensino secundário e ensino superior;
  • Todas as lojas e centros comerciais;
  • Restaurantes, cafés e pastelarias (máximo de quatro pessoas ou seis em esplanada), até às 22h (ou 13h aos fins-de-semana e feriados);
  • Cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculos;
  • Lojas de cidadão com atendimento presencial, mas com marcação;
  • Modalidades desportivas de médio risco;
  • Atividade física ao ar livre até ao máximo de seis pessoas;
  • Eventos exteriores com diminuição de lotação (5 pessoas por 100 metros quadrados);
  • Casamentos e batizados com 25% de lotação.

 

Após a realização do concelho de Ministros que decorreu esta tarde, António Costa evidencia, de acordo com o jornal Público, que “a evolução desde dia 9 de março até 14 de abril é ‘claramente positiva’, passando de uma taxa de incidência de mais de 118 casos por cada 100 mil habitantes”. Por outro lado, o primeiro ministro também deixou o alerta sobre “a outra variável é do ritmo de transmissão (Rt) e essa, infelizmente não tem tido uma boa evolução”, refere.

No passado dia 9 de Março foi registado o ritmo de transmissão a 0,78 e, hoje, esse Rt está a 1,05. Sendo que o Rt deverá estar abaixo de 1, estes números significam, de acordo com as palavras de António Costa, que “estamos a dirigir-nos para o lado perigoso”.

Apesar do primeiro ministro caracterizar o país como estando numa “zona amarela”, considera que Portugal se encontra numa posição que permite avançar para o próximo passo.

 

Alertas de risco

António Costa deixou ainda um alerta aos concelhos de Aljezur, Almeirim, Barrancos, Mêda, Miranda do Corvo, Miranda do Douro, Olhão, Paredes, Penalva do Castelo, Resende, Valongo, Vila Franca de Xira e Vila Nova de Famalicão por serem concelhos que, pela primeira vez, têm “uma taxa de incidência superior a 120 casos por cada 100 mil habitantes e, por isso, terão de ter ‘especial atenção’ nos próximos 15 dias”, avança o Público.

Os concelhos que não poderão avançar no próximo passo do desconfinamento, serão Alandroal, Albufeira, Beja, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela, uma vez que apresentam um número superior 120 casos por cada 100 mil habitantes há mais de 15 dias.

 

Aqueles que irão ter de dar um passo atrás no desconfinamento, serão os concelhos de Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior, os quais apresentam um número de casos superior a 240 por 100 mil habitantes.

Pin It

Publicidade (4)

Mais Lidas