Foi rejeitada a providência cautelar apresentada pela autarquia de Lousada para impedir a entrada na RIMA de resíduos provenientes de Itália. Uma decisão do tribunal que não surpreendeu a comissão política do PSD Lousada, o qual acusa o presidente da autarquia de apenas “tentar enganar os lousadenses”.

O PSD Lousada criticou, em comunicado, a postura do presidente da Câmara Municipal, Pedro Machado, por ter “usado um expediente para tentar enganar os Lousadenses, para apenas procurar ficar bem na fotografia”. Isto porque, lembrou o PSD, a providência cautelar deu entrada no tribunal quando, “nesse mesmo dia, o Conselho de Ministros já tinha decido suspender a importação de resíduos até ao final do ano. Mais: o Senhor Presidente da Câmara também já tinha “consentido” a entrada no aterro da Rima de mais 500 toneladas de lixo italiano que estavam no Porto de Leixões”.

O partido da oposição em Lousada considerou que Pedro Machado “praticou um ato que sabia ser inútil e que apenas lhe serviria para tentar convencer os Lousadenses de que tudo estava a fazer para impedir a entrada de mais lixo italiano no aterro da Rima. Estamos certos de que os Lousadenses não se deixam enganar. Os Lousadenses sabem que, por ação ou inação, o Senhor Presidente da Câmara e o Senhor Vereador do Ambiente nada fizeram para impedir a entrada de resíduos italianos em Lousada”.

Sobre a chegada das 500 toneladas de lixo provenientes de Itália, e que chegaram entre os dias 20 e 22 de maio, o PSD Lousada referiu não ter existido qualquer oposição do presidente da Câmara e do vereador do Ambiente.

Pin It

Mais Lidas