O PSD Lousada criticou a saída de Jorge Magalhães da Assembleia Municipal de Lousada, por não ter dado “uma única justificação aos Lousadenses”.

Em comunicado, os sociais-democratas consideraram que, ao renunciar ao mandato de presidente da Assembleia Municipal, “não quis honrar o compromisso que tinha para com a população de Lousada e bateu com a porta sem dizer nada”, lembrando que “nas últimas eleições autárquicas, o Dr. Jorge Magalhães foi eleito Presidente da Assembleia Municipal de Lousada para um mandato de quatro anos. No final do primeiro ano, suspendeu o mandato e, no fim do terceiro, renunciou ao cargo. Questionamos: Jorge Magalhães abandonou a Assembleia a troco de um cargo bem remunerado e arranjado à medida na Ambisousa, empresa intermunicipal que trata dos lixos do Vale do Sousa?”

O PSD Lousada questiona ainda “as condições que terá o Dr. Jorge Magalhães para exercer o cargo de Diretor Geral da Ambisousa enquanto for considerado arguido na denominada operação ETER, processo que foi movido pelo Ministério Público contra os dirigentes da anterior Direção do Turismo Porto e Norte, onde Jorge Magalhães era vice-presidente.

No entender do PSD, Jorge Magalhães deveria suspender funções até ver a sua inocência provada no referido processo”, conclui o comunicado.

 

Pin It

Mais Lidas