A Comissão Política do PSD Paredes referiu que o resgate da concessão da água e saneamento à empresa Be Water vai custar cerca de 50 milhões de euros aos munícipes.  O presidente da autarquia, Alexandre Almeida, foi ainda alvo de duras críticas.

A Comissão Política do PSD de Paredes realizou ontem uma conferência de imprensa para abordar o plano de resgaste da concessão das águas e saneamento previsto pela Câmara Municipal. O partido da oposição entende que o resgate, na ordem dos 22 milhões de euros, deveria ser substituído por um pedido à empresa Be Water de 31 milhões de euros por incumprimento do contrato. “Os vereadores do PSD, em reunião de Câmara, disseram e apresentaram uma proposta, para que a Câmara rescindisse com justa causa com a Be Water, a responsabilizasse pela falta de investimento acordado entre as partes, para além de se oporem ao pagamento de tamanha quantia anunciada por Alexandre Almeida. A proposta do PSD foi recusada”, lembrou o PSD, em comunicado.

“Alexandre Almeida está a premiar com 22 milhões de euros uma empresa que tem de ressarcir a autarquia em 31 milhões de euros. Que gestão é esta ao prejudicar os paredenses em mais de 50 milhões euros?”, interrogou Ricardo Sousa, Presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Paredes.

“Os Paredenses ficam assim sem obra e sem muito dinheiro. “Alexandre Almeida reconhece publicamente que a Be Water não tem cumprido o acórdão. Então porque não solicitou aos serviços jurídicos da câmara a elaboração de uma ação para rescindir o contrato com justa causa impedindo assim o desembolso de 22 milhões para além de tentar recuperar, através de negociação, as infraestruturas que deveriam ter sido efetuadas e não o foram», observa este dirigente social-democrata.

Para além do empréstimo que a câmara já disse que irá pedir para pagar o resgate à Be Water é sabido que este executivo não tem margem de endividamento. Daí muitas obras prometidas na última campanha eleitoral irão ficar no papel, tal como o setor da água, saneamento, etc, que pouco ou mesmo nada foi feito em todo o concelho. “Será que Alexandre Almeida vai agora se desculpar com este hipotético diferendo com a Be Water, dizendo que foi culpa desta empresa por Paredes estar prejudicado nesta área? Se o fizer está a cometer um enorme erro de ética politica e moral, e a falsear a verdade. Alexandre Almeida, tanto em reuniões de câmara como em declarações à imprensa, ao longo destes três últimos anos de mandato sempre disse que as relações com a Be Water «eram boas e se recomendavam», como referiu na reunião de câmara em julho passado”, salienta Ricardo Sousa, que termina com uma pergunta: “porquê só agora que as comadres se zangaram?”, concluiu o PSD, em comunicado.

Pin It

Mais Lidas