O PSD Paredes pretende que seja inserida na ordem de trabalhos da próxima assembleia municipal a discussão para a constituição imediata de uma Comissão de Inquérito às negociações e decisão de resgate do contrato de concessão com a ‘Be Water’.

Os sociais-democratas entendem que esta Comissão de Inquérito será importante para “acompanhar de forma transparente todo este processo nubloso”, referindo-se à “oferta” do município de Paredes de “22 milhões de euros à ‘Be Water’, para além de lhe ter ‘perdoado’ mais 31 milhões de euros de investimento, o que perfaz um prejuízo total de 53 milhões de euros para os paredenses, em detrimento da proposta apresentada pelo PSD Paredes que previa a rescisão de contrato com justa causa”.

Em comunicado, o PSD Paredes referiu ainda acreditar que “todos os deputados eleitos para a Assembleia Municipal, bem como os presidentes de Junta, irão votar favoravelmente a criação de uma Comissão de Inquérito”, sublinhando que “quem não deve, não teme”.

O principal partido da oposição lembrou que “há cerca de um mês o Jornal Económico, com chamada à primeira página, dizia em título: “Be Water quer 200 milhões por resgate em Paredes”.  O PSD de Paredes, perante esta noticia, solicitou em carta ao Presidente da Câmara, respostas transparentes a diversas questões, como, por exemplo, se era verdade ou não que a “Be Water” pretendia ser indemnizada com 200 milhões de euros para que o resgate da concessão em Paredes se concretizasse? “Até hoje nunca recebemos uma resposta às nossas solicitações”, referiu Ricardo de Sousa, presidente do PSD Paredes.

“O PSD de Paredes está, como sempre esteve, muito preocupado com o futuro dos paredenses que poderão ver hipotecados, durante muitos anos, as suas legitimas aspirações no que concerne ao desenvolvimento do seu concelho”, alertou ainda Ricardo de Sousa.

Pin It

Publicidade (4)

Mais Lidas