Os vereadores do PSD de Paços de Ferreira não concordam com a proposta do executivo da Câmara Municipal em colocar a derrama na taxa máxima (1,5%) e vão propor ao presidente da Câmara a redução para metade e solicitar a isenção da taxa para algumas empresas.

Os Vereadores do PSD no executivo municipal, Joaquim Pinto e Célia carneiro, não concordam com a proposta avançada pelo executivo PS de taxar a derrama às empresas concelhias em 1,5%, o valor máximo permitido e, para demonstrar o desagrado, uma declaração de voto onde se pode ler o seguinte:

  1. Considerando a retórica permanentemente usada pela maioria socialista nomeadamente nos documentos oficiais como o Plano de Atividades e Orçamento e o Relatório e Contas, nos quais é detalhado um cenário” cor-de-rosa” apenas possível graças ao toque de midas nas finanças autárquicas dado pelos atuais responsáveis;
  2. Considerando que da análise do Plano de Atividade e Orçamento para o ano de 2020 apenas conseguimos descortinar um apoio ao nosso tecido empresarial de 2.500€ para promoção da Capital do Móvel, isto apesar do permanente “foguetório” mediático;

Os Vereadores do PSD votam contra a atual proposta e propõem ao Sr. Presidente de Câmara que considere a colocação da Taxa de Derrama para o ano de 2020 em 0,75% com uma descriminação positiva para as empresas que prevejam investir no decorrer do referido ano, isentando-as de pagamento de Derrama.

Pin It

Mais Lidas