Ao EMISSOR, Alexandre Costa avança a possibilidade de a Câmara Municipal de Paços de Ferreira ter de indemnizar as Águas de Paços de Ferreira “em largos milhões de euros”. O PSD refere, também, a ETAR de Arreigada como incapaz de dar resposta às necessidades do município.

O Partido Social Democrata de Paços de Ferreira avançou, hoje, já ter solicitado informações, nos órgãos autárquicos, sobre as negociações existentes entre o Município de Paços de Ferreira e a Concessionária Águas de Paços de Ferreira, sobre o Contrato de Concessão e Exploração e Gestão do Sistema de Abastecimento de Águas para Consumo Público e de Recolha, Tratamento e Rejeição de Efluentes do Concelho de Paços de Ferreira.

Como o partido avança não ter obtido qualquer resposta satisfatória, o PSD de Paços de Ferreira participou na Assembleia Municipal, realizada na passada quarta-feira, de forma a discutir algumas questões indispensáveis a uma resposta por parte do atual autarca de Paços de Ferreira, sendo que este tem o dever de informar os órgãos autárquicos perante a população do concelho.

Durante a Assembleia Municipal, o Partido Social Democrata, através do deputado e Ex. Vice-Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, José Manuel Soares, quis saber acerca do memorando de entendimento celebrado entre o Município de Paços de Ferreira e a Águas de Paços de Ferreira em 2015, relembrando que este é um processo que se tem vindo a arrastar por ambas as partes. José Manuel Soares procurou ainda saber se o novo tarifário já se encontra aprovado pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos ou se existem repercussões no desequilibro do contrato de concessão.

Face a este problema, o PSD de Paços de Ferreira quis ainda saber qual o montante que está em jogo, proveniente desse desequilíbrio e relembrou que os ex-deputados do partido socialista, à data discussão sobre a concessão das águas, votaram a favor da criação desta, ao lado do PSD, nomeadamente o ex-presidente da Assembleia Municipal, no atual mandato, Ricardo Pereira, e Paulo Ferreira, atual Vice-Presidente da autarquia.

 

Município de Paços de Ferreira e Águas de Paços de Ferreira

Em declarações ao EMISSOR, Alexandre Costa, presidente da Comissão Política do Partido Social Democrata de Paços de Ferreira, avança ter vindo a estranhar “o silêncio do Presidente da Câmara Municipal e das Águas de Paços de Ferreira, sobre as decisões da Comissão Paritária Arbitral e quanto à forte possibilidade do aumento do preço da água e saneamento em virtude da irregularidade da decisão da maioria socialista”, acrescentando que “infelizmente para todos nós, se tal vier a acontecer, a Câmara Municipal pode vir a confrontar-se com a obrigação de indemnizar em largos milhões de euros a Concessionária pelo tempo em que o atual tarifário vigorar”, explica.

 

ETAR de Arreigada

Alexandre Costa avança que as preocupações do PSD sobre o funcionamento da ETAR “são verdadeiras” uma vez que, de acordo com o mesmo, existe “uma forte desconfiança de que a incompetência política na gestão do processo de remodelação da ETAR vai ter como consequência uma ETAR que não dá resposta às necessidades do concelho e tenha até, uma capacidade inferior à anterior”, avança ao EMISSOR.

 

“Quando se investem milhões de euros não pode haver incompetência desta natureza.”

 

Alexandre Costa explica que o PSD de Paços de Ferreira sabe da existência de “várias limitações no novo equipamento que, com a atual obra, o caudal que chega é superior à capacidade de tratamento, em especial no tratamento secundário que não ultrapassará os 50%. A falta de existência de silos para lamas, bacias de retenção, reaproveitamento de águas. Mais grave ainda é que não está previsto, apesar de todo este investimento, qualquer crescimento da população, ora desta forma estamos a contrariar as apostas no crescimento imobiliário. Há uma clara falta de coordenação”, conclui.

Pin It

Publicidade (4)

Mais Lidas