A Polícia Municipal de Paços de Ferreira declarou greve às horas extraordinárias por tempo indeterminado, com efeitos a partir de amanhã. Em causa está a prática de rotinas de horário laboral illegal. Sindicato vai interpor uma ação judicial contra a Câmara Municipal de Paços de Ferreira.

O Sindicato Nacional das Polícias Municipais (SNPM) informou que declarou greve às horas extraordinárias no Município de Paços de Ferreira, com efeitos a partir de amanhã (sexta-feira) e por tempo indeterminado até que as reivindicações dos agentes de Polícia Municipal sejam satisfeitas.

Em comunicado, o SNPM justificou esta medida pela “grave violação dos direitos dos profissionais de Polícia Municipal por parte da Câmara Municipal de Paços de Ferreira que, mesmo depois de interpelada por este sindicato, continua a praticar uma rotina de horário laboral ilegal que causa grande transtorno e prejuízos para a vida pessoal e familiar e um enorme desgaste físico e profissional para os agentes de Polícia Municipal”.

O SNPM anunciou ainda que vai participar estas irregularidades às entidades que tutelam o setor e “encontra-se neste momento a apurar o montante dos prejuízos causados com vista a interpor uma ação judicial com vista a pedir uma indemnização à Câmara Municipal de Paços de Ferreira”.

Os agentes de Polícia Municipal do Município de Paços de Ferreira “lamentam o transtorno que a greve possa causar à população mas não foi possível evitar a mesma, uma vez que a Câmara Municipal Paços Ferreira desconsiderou todas as tentativas de negociação e regularização dos direitos laborais dos Agentes”.

Pin It

Publicidade (4)