Dois agentes da Polícia Municipal de Paços de Ferreira ficaram feridos na sequência de um embate com um veículo dos Bombeiros, ocorrido em Lamoso, Paços de Ferreira. Os agentes tiveram de ser assistidos no hospital Padre Américo.

Não chegou para o susto o acidente entre uma viatura da Polícia Municipal e outro dos Bombeiros Voluntários de Paços de Ferreira. Segundo o delegado sindical do SNPM, o acidente ocorreu no passado dia 8 de agosto, pelas 22:10 horas, quando “a viatura da Polícia parou para ceder passagem aos peões que faziam intenção de passar na travessia (passadeira) tendo a viatura dos Bombeiros embatido na traseira da viatura da Polícia”, referiu, explicando que as duas equipas estavam a trabalharam em conjunto na eliminação de ninhos de vespa asiática que estão identificados em algumas zonas do concelho. “O SNPM tem feito o acompanhamento dos colegas e preza pela sua rápida recuperação assim como está solidário com a corporação dos Bombeiros, pois estes acidentes acontecem até aos melhores”.

Os dois elementos da Polícia Municipal encontram-se em baixa médica e reduz ainda mais o corpo ativo no concelho. “Desde 2001 que esta corporação policial contava com 20 elementos e agora encontra-se reduzida a 12 elementos o que vem a comprometer a eficácia do serviço de Polícia Municipal no concelho, junto dos Pacenses. É necessário haver maior consciência na valorização dos recursos humanos, que se reflete no aumento do número de agentes e na sua formação contínua, par das suas congéneres, como por exemplo a PM Gaia que abriu para concurso externo 20 vagas, ou Amadora com outras 20 e agora recentemente Gondomar para mais 29 vagas. Com este acidente questiona-se a capacidade de resposta desta Polícia através dos seus meios operacionais dado que o parque automóvel necessita de ser renovado uma vez que estamos perante viaturas com quase 20 anos que em situações de emergência podem comprometer a eficácia do serviço e a segurança dos ocupantes e terceiros que circulam na via pública. Estamos a falar de viaturas com mais de 300mil km quando nas Polícias Municipais há muito que as frotas são renovadas através do sistema de leasing, reduzindo assim os encargos para o Município ao mesmo tempo que dispõe a comunidade de viaturas altamente operacionais. Estas situações têm vindo a causar desconforto no serviço e nos seus agentes, onde até recentemente acabamos por perder mais um agente para outro município e com isto e a questão dos horários e outras questões internas que mantemos ainda a greve às horas extras, situação essa que acreditamos que o Município esteja a trabalhar de forma a haver um entendimento com o sindicato com o objetivo de satisfazer as necessidades da população, do Município e dos seus agentes da Polícia Municipal”, concluiu o dirigente sindical.

Pin It

Mais Lidas