Os consumidores de abastecimento de água do concelho de Paços de Ferreira vão começar a pagar novamente a taxa de disponibilidade a partir do próximo mês de outubro e verem as faturas aumentar para quase o dobro do atualmente praticado. A medida foi anunciada pela empresa Águas de Paços de Ferreira, que justifica com o facto de a autarquia não estar a cumprir o acordo entre as duas entidades em 2017.

A água em Paços de Ferreira vai ficar mais cara a partir do dia 1 de outubro. O novo tarifário já foi divulgado pelas Águas de Paços de Ferreira através de uma carta enviada ao consumidor, em que explica o motivo da alteração. Assim, o novo tarifário a vigorar será baseado nos mesmos valores do anterior ao adotado após um acordo em 2017 entre a empresa das águas e a Câmara Municipal de Paços de Ferreira, e com as atualizações à data atual.

O consumidor havia deixado de pagar a taxa de disponibilidade, num cenário agora quebrado pela empresa privada e justificada pelo facto de “o mencionado acordo que legitima o tarifário aprovado não foi assinado pelo Município, apesar da respetiva minuta ter sido aprovada pela Câmara Municipal e pela Assembleia Municipal”, referiu a Águas de Paços de Ferreira no documento enviado aos consumidores.

O acordo para a abolição da tarifa de disponibilidade e redução do preço da água de abastecimento doméstico surgiu na sequência de um compromisso entre o município, que se baseou na “reposição do equilíbrio económico financeiro da concessão”, o que, no entender da empresa, nunca aconteceu, o que coloca o atual tarifário sem suporte legal, levando à introdução ao que vigorava anteriormente.

Recorde-se que em 2017 o presidente da autarquia, Humberto Brito, referiu que o acordo com a então AGS iria permitir aos cidadãos de Paços de Ferreira pagarem "metade daquilo que pagavam no preço da água", referiu na altura à Agência Lusa.

 

modelo da carta enviada ao consumidor

 

Subida acentuada

Todos os consumidores do concelho vão começar a pagar a taxa de disponibilidade, um encargo que desapareceu com o acordo da alteração entre as partes vincado em 2017, mas que agora terá um peso direto na fatura. Assim, o valor mínimo de taxa de disponibilidade será de 6,9 euros, ao qual somará depois o consumo mensal da água.

tarifário em vigor até setembro 2019

 

tarifário a vigorar a partir de outubro de 2019

Pin It