A deputada Maria Manuel Rola questionou o governo sobre as descargas no Rio Mau

As águas do Rio Mau, em Santo Tirso, têm vindo a aparecer tingidas de uma coloração esbranquiçada e opaca no torço do rio que atravessa a freguesia de Reguenga. Segundo moradores da zona, representantes também do “Movimento contra a poluição do rio Mau”, as últimas descargas realizaram-se nos dias 30 de novembro, 2 e 13 de dezembro.

Tendo em conta este problema, os membros do Núcleo de Proteção Ambiental da GNR deslocaram-se ao local “depois de receberem denúncias das descargas poluentes”, sendo que, no terreno, terão constatado que as águas “já corriam poluídas desde a zona da nascente do rio, na freguesia confinante de Seroa, pertencente ao concelho de Paços de Ferreira”.

De acordo com o Bloco de Esquerda de Santo Tirso, a poluição existente no Rio Mau coloca em risco “o usufruto de zonas de lazer e recreio procuradas pela população local devido às águas límpidas ribeirinhas que atravessam a Reguenga”, sendo que, as descargas poluentes podem, ainda, “provocar efeitos negativos na biodiversidade ribeirinha, bem como na agricultura e saúde humana, pois a água do rio é utilizada para rega de culturas agrícolas na freguesia”.

O Bloco de Esquerda de Santo Tirso considera inadmissível esta ocorrência, por isso, exige às entidades competentes que identifiquem a origem da poluição, responsabilizem e atuem nos termos da lei. O partido quer ainda saber se o Governo tem conhecimento das recentes descargas e de “quantas notificações de contraordenação foram efetuadas por descargas ilegais no rio Mau nos últimos anos”.

Além disso, tendo em conta que a água do Rio Mau é utilizada na agricultura, o Bloco de Esquerda pretende saber se tem o “Governo conhecimento de episódios de contaminação de solos agrícolas e que medidas e ações vai o Governo adotar para erradicar as descargas poluentes no Rio Mau”.

Pin It

Publicidade (4)

Mais Lidas