17.7 C
Munique
18.9 C
Porto
DestaqueLiberdade de expressão da imprensa em jogo

Liberdade de expressão da imprensa em jogo

Relacionados

Penafiel – Apreensão de armas ilegais

No âmbito de uma denúncia por ameaças com recurso a armas de fogo, no dia 3 de julho, os militares da guarda do posto...

Cerimónia de comemoração dos 91 anos da instituição em Paços de Ferreira brindada com medalha por serviços distintos de Grau Ouro

Zeferino Barbosa, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paços de Ferreira (AHBVPF), recebeu a medalha por serviços distintos de Grau Ouro da...

Amarante – Detido por posse de arma proibida

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Amarante, hoje, dia 30 de junho, deteve um homem de 23 anos por posse...

Promulgada no passado dia 8 de maio, a “Carta de Direitos Humanos na Era Digital” avançou em sequência ao Plano Europeu de Ação contra a Desinformação, introduzindo na lei, em Portugal a definição de “desinformação”, referindo-o no poto 2 do artigo 6º que se considera desinformação toda a narrativa comprovadamente falsa ou enganadora criada, apresentada e divulgada para obter vantagens económicas ou para enganar deliberadamente o público, e que seja suscetível de causar um prejuízo público, nomeadamente ameaça aos processos políticos democráticos, aos processos de elaboração de políticas públicas e a bens públicos”.

Neste sentido, e de acordo com o promulgado, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) irá ter o poder de apreciar e julgar queixas contra “pessoas singulares e coletivas que propaguem narrativas falsas nas redes sociais e todas as plataformas digitais”, não especificando quais as condenações.

Face a este documento, a Associação Portuguesa de Imprensa apresentou as próprias dúvidas no que diz respeito à atribuição de competências à ERC, referindo estar “fora da especialidade” e à implementação de práticas que “poderão assumir contornos censórios”.

O Estado apoiará, com base nestas informações, “estruturas de verificação de factos por órgãos de comunicação social” e “incentivar a atribuição de selos de qualidade” à imprensa considerada como “fidedigna”.

A “Carta de Direitos Humanos na Era Digital” foi aprovada no Parlamento, a 8 de abril de 2021, com votos a favor do PS, PSD, BE, CDS, PAN e a abstenção do PCP, PEV, Chega e Iniciativa Liberal.

Por outro lado, a Constituição da República assegura, nos artigos 37º e 38º a Liberdade de Expressão e de Imprensa, referindo que “todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações”, aufere o primeiro ponto.

Num segundo ponto, o artigo avança que “o exercício destes direitos não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura”.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido