27.4 C
Munique
25 C
Porto
DestaqueMetade dos concelhos em Portugal não têm toda a oferta formativa no...

Metade dos concelhos em Portugal não têm toda a oferta formativa no secundário

Relacionados

Amarante – Detido por posse de arma proibida

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Amarante, hoje, dia 30 de junho, deteve um homem de 23 anos por posse...

PSD Paços de Ferreira debateu diferenças entre as áreas intermunicipais

O PSD Paços de Ferreira organizou um debate sobre as comunidades intermunicipais com o objetivo de esclarecer o que poderá vir a ser no...

Penafiel – Racing Fest: Equipas médicas e de auxílio

Organização do evento promove ação de formação para bombeiros, protecção civil e equipa médica No próximo dia 30 de junho, às 21h, a organização do Penafiel Racing...

As áreas de formação disponíveis para os alunos do Ensino Secundários passam por Línguas e Humanidades, Ciências e Tecnologias, Ciências Socioeconómicas e Artes Visuais, no entanto, esta oferta formativa está disponível apenas em 127 concelhos do país, o equivalente a 45,7% dos concelhos do continente português.

Em 33 municípios de Portugal não existe, sequer, este nível de escolaridade obrigatória. Em oito, existe apenas um curso e em 49 municípios, duas opções.

Estas desigualdades são mais visíveis no interior do país, onde os alunos que gostam de artes e economia se vêm vedados da oferta formativa.

Em Portugal, existem jovens com 14 e 15 anos que vivem sozinhos para poderem frequentar os cursos pretendidos, bem como existem famílias que mudam de área de residência pelo mesmo motivo. No entanto, muitos dos jovens não vêm as suas realidades facilitadas e, por isso, acabam por verem o percurso académico limitado no Secundário.

Este é um problema que não é novo, no entanto, com a quebra da natalidade, este problema tem-se vindo a intensificar.

Face a esta realidade, o Ministério da Educação afirmou, por escrito, a existência de “territórios com número cada vez mais reduzido de alunos dos cursos científico-humanísticos”, devido à “redução paulatina dos nascimentos, particularmente intensa no Interior”, acrescentando a procura pelas “vias profissionalizantes” como fator responsável pela realidade.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido