24.6 C
Munique
27.9 C
Porto
DestaquePCP acusa administração da STCP de promover discriminação de trabalhadores em função...

PCP acusa administração da STCP de promover discriminação de trabalhadores em função da filiação sindical

Relacionados

Paulo Bettencourt recordado em Paços de Ferreira

O local de trabalho que o viu crescer como profissional, serviu de sustento para homenagear o Arq. Paulo Bettencourt no seu 65º aniversário de...

Simão Rocha, Campeão Nacional de Natação Adaptada

Em Abrantes, no dia 2 e 3 de julho decorreu o Campeonato Nacional de Natação Adaptada que contou com a presença de 140 atletas...

Paços de Ferreira – Artigos contrafeitos apreendidos

No dia 1 de julho foi constituída arguida uma mulher de 43 anos e apreendidos vários artigos contrafeitos, no concelho de Paços de Ferreira...

O PCP avança, em nota, que durante várias décadas, os trabalhadores da STCP têm consagrado o direito de descansar aos sábados, um direito atribuído em função da antiguidade do trabalhador. O direito em questão tem, inclusive, transcrição no Acordo de Empresa em vigor.

No decorrer do último processo negocial com os sindicatos, o conselho de administração fez depender a atribuição deste direito à assinatura de um memorando de entendimento “impunha a limitação do direito à greve e aumentos salariais de apenas 15 euros por mês”, avança o PCP.

Os aumentos em questão, bem como a imposição de limites ao direito à greve, foram considerados pelo Sindicato de Transportes Rodoviários Urbanos do Norte (STRUN) inaceitáveis, avançando em sua defesa os “direitos dos trabalhadores que representam, não assinaram o dito memorando”.

O Conselho de Administração da STCP deixou de atribuir o dia de folga ao sábado e, os associados da STRUN, mesmo estes tendo a antiguidade necessária para tal. Assim, o PCP considera que esta situação discriminatória “em função da sua filiação sindical, numa clara afronta aos mais elementares direitos dos trabalhadores”.

Face a esta situação, os deputados comunistas da Assembleia da República pediram explicações ao Ministro da tutela, bem como aos seis municípios que assumiram a propriedade da empresa, sendo que os eleitos intervirão no sentido de “exigir do Conselho de Administração o fim desta atitude persecutória e o respeito pelos direitos dos trabalhadores”, conclui, em nota, o PCP.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido