22.3 C
Munique
20.1 C
Porto
OpiniãoA VERDADEIRA LIBERDADE

A VERDADEIRA LIBERDADE

Relacionados

Incentivos certos

Para além de evitar que se cometam alarvidades despesistas de comprar de serras como aquela que tenciona fazer o autarca José Manuel Ribeiro, podem...

Porque o PCP resiste e luta

Nos últimos tempos, não fugindo à regra desde que foi fundado, não faltam ataques ao Partido Comunista Português. Tudo com dois grandes objetivos: enfraquecer...

Somos filhos da madrugada

Aproveitando as celebrações de mais um aniversário da Revolução dos Cravos vamos falar de liberdade. A liberdade é um conceito amplo, dicotómico, nem sempre consensual....

Numa sociedade atual que se diz defender os direitos humanos, é estranha a forma como vemos os rótulos colocados a quase meio milhão de pessoas “nazis, racistas, xenófobos, extremistas, etc.”
Juízos de valor nunca trouxeram bons resultados, rotular pessoas pelas suas crenças religiosas, desportivas ou políticas tem muito que se lhe diga. Tanto é que os resultados do Chega aumentam, eleição após eleição, de uma forma brutal.
Podem até dizer que é o ressuscitar do saudosismo Salazarista ou do estado novo, mas garanto-vos que a maioria dos apoiantes deste movimento, sim para além de um partido isto é um movimento de pessoas, nem viveu o estado novo, muito menos sabem que em 25 de Abril de 1974, Salazar já se encontrava morto fisicamente há 4 anos e mentalmente há 6 anos.
Está aos olhos de todos! A população, os partidos políticos e a comunicação social, já perceberam que este movimento é um movimento antissistema.
Não confundam o sistema com o regime, pois somos um partido constitucional, que defende o regime democrático, livre de um sistema podre e corrupto como o atual.
Somos um partido humanista, conservador, e liberal na economia. Somos de direita e não de extrema direita como acusam, apesar de achar que até somos de extrema. Sim, de extrema necessidade para acabar com esta vergonha.
A sociedade está a necessitar de uma mudança, uma nova visão política, que acabe com a divisão entre portugueses de primeira e portugueses de segunda, todos somos iguais, todos temos direitos mas também deveres, independentemente da raça, etnia, religião, etc.
Espero que termine esta libertinagem e comece a verdadeira liberdade para bem dos nossos filhos e netos…

Carlos Dias
Presidente da Comissão Política Concelhia de Paços de Ferreira do Partido Chega

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido