1.9 C
Munique
8.9 C
Porto
RegionalMulher detida por suspeita de liderança de grupo criminoso no âmbito de...

Mulher detida por suspeita de liderança de grupo criminoso no âmbito de crimes informáticos na zona do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos

Relacionados

Associação de Municípios do Douro e Tâmega (AMDT) com orçamento de 1,37M para 2023

O Conselho Diretivo da Associação de Municípios do Douro e Tâmega (AMDT) aprovou hoje, 28 de novembro, o Plano Plurianual de Investimentos 2023-2026. O documento prevê...

Braga – Câmara de Braga transfere mais de 600 mil euros para Freguesias e instituições do Concelho

Mais de 600 mil euros é quanto o Município de Braga vai transferir para financiar a execução de várias obras em diversas Freguesias e...

Operação “Comércio Seguro 2022″

A Guarda Nacional Republicana (GNR), na sua área de responsabilidade, durante o período compreendido entre os dias 25 de novembro e 31 de dezembro,...

A Polícia Judiciaria, no âmbito de um inquérito titulado pelo Ministério Público, realizou uma ação policial no Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia para cumprimento de “mandado de detenção e buscas domiciliárias, tendo como alvo um dos elementos centrais de um grupo criminoso que se dedica à presumível prática de crimes de bula informática, acesso ilegítimo e falsidade de informática”, refere a PJ em nota.

Em sequência a esta ação, foi apurado por parte da PJ que o grupo criminoso acedeu e subtraiu de diversas contas bancárias “valores a rondar os 50.000€, servindo-se de credenciais falsas de acesso ao ‘home banking’ dos lesados”.

No decurso da operação policial foi ainda apreendida documentação diversa relativa à atividade criminosa, de acordo com nota, “entre correspondência desviada aos lesados e ficheiros informáticos, mais de 4000 registos com informações confidenciais de particulares e empresas”.

Foi detida uma mulher de 39 anos, suspeita de liderar o grupo, sem antecedentes criminais, sobre a qual “impendem indícios de pelo menos 10 crimes de burla, 15 crimes de burla informática, 16 crimes de falsidade informática e 13 crimes de acesso ilegítimo”, refere nota da PJ.

A própria será presente à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório e aplicação das devidas medidas de coação.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido