3.6 C
Munique
13.6 C
Porto
RegionalPetição em Paços de Ferreira surge contra o abate de árvores no...

Petição em Paços de Ferreira surge contra o abate de árvores no centro histórico

Relacionados

Detido por violência doméstica

O Comando Territorial de Braga, através do Posto Territorial de Amares, no dia 2 de dezembro, deteve em flagrante um homem de 35 anos...

Operação “RoadPol – Alcohol and Drugs” Álcool e drogas

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre os dias 5 e 11 de dezembro, no âmbito do planeamento anual efetuado pela RoadPol, irá realizar uma...

Fafe – Apreensão de 380 litros de aguardente

A Unidade de Ação Fiscal (UAF), através do Destacamento de Ação Fiscal (DAF) do Porto, no dia 29 de novembro, apreendeu 380 litros de...

Um movimento de cidadãos pacenses descontentes e revoltados insurgiu-se contra o abate de árvores no centro histórico de Paços de Ferreira que tem ocorrido desde janeiro deste ano e, na qual, levou ao aparecimento de uma petição online que foi publicada no dia de hoje, por volta do almoço.

Petição em Paços de Ferreira surge contra o abate de árvores no centro histórico
Direitos Reservados
Foto tirada a 7 de janeiro de 2022

Esta petição divulgada pelas redes sociais e do “passa palavra”, tem como intuito mostrar o descontentamento da população para com o abate das árvores que, de acordo, com a porta-voz deste movimento “são necessárias, antigas e acarinhadas” pela população residente no centro histórico de Paços de Ferreira.

Os residentes do centro histórico avistaram o abate destas estruturas que são essenciais, tal como afirma, a representante numa altura em que se fala de “alterações climáticas” e da proteção ambiental. Em declarações ao Emissor, a cidadã pacense revela que o executivo municipal não comunicou nem informou a população acerca desta situação, tal como, está previsto no artigo 24º da lei número 59/2021 de 18 de agosto de 2021.

Petição em Paços de Ferreira surge contra o abate de árvores no centro histórico
Direitos Reservados
Antes Avenida Sílvia Cardoso

De acordo com a porta-voz, “este abate é ilegal”. Tendo em conta a lei descrita, o executivo tem deve informar e justificar o abate destas árvores que irão demorar “40 anos para recuperarem”, no qual são “essenciais para a qualidade da vida” da população, como por exemplo, no fornecimento do oxigénio.

Petição em Paços de Ferreira surge contra o abate de árvores no centro histórico
Direitos Reservados
Depois Avenida Sílvia Cardoso
Foto tirada a 13 de janeiro de 2022

O objetivo deste movimento prende-se para serem “ouvidos” na Assembleia Municipal de forma a “chamar à razão do executivo” que tem abatido as árvores para alargar os passeios e construir parques de estacionamento. De salientar ainda que, foram feitas denúncias ao Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana.

O Emissor contactou a Câmara Municipal de Paços de Ferreira, na qual, foi respondida por José Vinha (Gabinete de Comunicação e Imprensa da autarquia) ao revelar que as árvores foram abatidas por “estarem mortas” e “porem em causa o bem-estar dos cidadãos” bem como das “infraestruturas” por causa das raízes das árvores. Além disso, foi revelado, que o abate se iniciou nesta semana e os técnicos que se encontram a proceder ao abate têm cumprido a legislação afirmando que as árvores encontram-se mortas e “têm que ser abatidas”,  na qual serão substituídas por árvores adequadas ao meio urbano.

Por outro lado, José Vinha revela que não tem conhecimento da lei artigo 24º da lei número 59/2021 de 18 de agosto de 2021, mas refere e reforça a ideia de que os técnicos estão a cumprir todas as leis.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido