CulturaCurta metragem baseada no MEIC de Santo Tirso premiada internacionalmente

Curta metragem baseada no MEIC de Santo Tirso premiada internacionalmente

Relacionados

Santo Tirso: Homem morre na A3 num acidente enquanto fugia em contramão

Um homem, de 33 anos, suspeito de um roubo em Braga, morreu na madrugada da passada segunda-feira, na sequência de um acidente, em Santo...

Felgueiras: Jovem morre após despiste de mota

Um jovem de 24 anos morreu na sequência de um acidente de viação, na passada quarta-feira, dia 21 de fevereiro, na Lixa, concelho de...

Valongo: Homem morre após despiste contra paragem de autocarro

Um homem, de 48 anos, morreu, na noite do passado domingo, 18 de fevereiro, num acidente de viação na freguesia de Sobrado, em Valongo. O...

A curta metragem “Sculp Entre Sonhos” é uma obra ficcional baseada nas esculturas que compõem o Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC) de Santo Tirso, e é da autoria de Joaquim Pavão. A obra foi premiada internacionalmente ao ser reconhecida com o “Best Surrealism Short Film”, do “Retro Avant Garde Film Festival”, de Nova Iorque.

Este ano, o festival decorreu nos Estado Unidos da América, com o objetivo de promover todas as formas de expressão relevantes no cinema. A “Sculp Entre Sonhos”, com 23 minutos, decorre num mundo pós capitalismo onde toda a existência está determinada, todos os prolemas resolvidos e o equilíbrio é atingido. Através do sonho, as personagens mergulham numa abstração antagónica à realidade onde habitam e o confronto leva-as a questionar sobre o seu próprio papel dentro de um sistema, promovendo a saída.

Inspirando-se no MIEC, a obra foi produzida pela Fugir de Medo, Filmógrafo, Cine Clube de Avanca e contou com a participação do Festival de Cinema AVANCA. A curta metragem, da autoria de Joaquim Pavão, foi escolhida para a competição oficial dos festivais “Cine Luso Espírito Mundo Internacional Film Festival”, a qual decorrerá no final de novembro, em Bruxelas, sendo que irá ser também exibido no “3in1 Film Fest”, em Samora Correia.

A relação de Joaquim Pavão com o Museu Internacional de Escultura Contemporânea começou quando este era adolescente e frequentava o Festival internacional de Guitarra, enquanto estudante de música.

O MEIC nasceu nos anos 90, tendo a ideia partido do escultor já falecido Alberto Carneiro e, atualmente, é composto por 57 esculturas ao ar livre, da autoria de 56 escultores nacionais e internacionais, dispersas por seis polos da cidade de Santo Tirso.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -