CulturaCurta metragem baseada no MEIC de Santo Tirso premiada internacionalmente

Curta metragem baseada no MEIC de Santo Tirso premiada internacionalmente

Relacionados

Paredes: Dois homens com antecedentes detidos por roubo

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal de Penafiel deteve, no passado dia 12 de junho, dois homens de 28...

Santo Tirso: Câmara Municipal alvo de buscas pela PJ

A Polícia Judiciária do Porto realizou, na passada quarta-feira, dia 12 de junho, buscas na Câmara Municipal de Santo Tirso e em três empresas...

AD e PS dividem vitórias nos Concelhos da Região do Tâmega e Sousa

A população europeia, foi, no passado dia 09 de junho, chamada a votar para eleger os assentos no Parlamento Europeu. Na região do Tâmega...

A curta metragem “Sculp Entre Sonhos” é uma obra ficcional baseada nas esculturas que compõem o Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC) de Santo Tirso, e é da autoria de Joaquim Pavão. A obra foi premiada internacionalmente ao ser reconhecida com o “Best Surrealism Short Film”, do “Retro Avant Garde Film Festival”, de Nova Iorque.

Este ano, o festival decorreu nos Estado Unidos da América, com o objetivo de promover todas as formas de expressão relevantes no cinema. A “Sculp Entre Sonhos”, com 23 minutos, decorre num mundo pós capitalismo onde toda a existência está determinada, todos os prolemas resolvidos e o equilíbrio é atingido. Através do sonho, as personagens mergulham numa abstração antagónica à realidade onde habitam e o confronto leva-as a questionar sobre o seu próprio papel dentro de um sistema, promovendo a saída.

Inspirando-se no MIEC, a obra foi produzida pela Fugir de Medo, Filmógrafo, Cine Clube de Avanca e contou com a participação do Festival de Cinema AVANCA. A curta metragem, da autoria de Joaquim Pavão, foi escolhida para a competição oficial dos festivais “Cine Luso Espírito Mundo Internacional Film Festival”, a qual decorrerá no final de novembro, em Bruxelas, sendo que irá ser também exibido no “3in1 Film Fest”, em Samora Correia.

A relação de Joaquim Pavão com o Museu Internacional de Escultura Contemporânea começou quando este era adolescente e frequentava o Festival internacional de Guitarra, enquanto estudante de música.

O MEIC nasceu nos anos 90, tendo a ideia partido do escultor já falecido Alberto Carneiro e, atualmente, é composto por 57 esculturas ao ar livre, da autoria de 56 escultores nacionais e internacionais, dispersas por seis polos da cidade de Santo Tirso.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -