DestaqueAterro em Valongo recebe nova licença da Agência Portuguesa do Ambiente apesar...

Aterro em Valongo recebe nova licença da Agência Portuguesa do Ambiente apesar de estar em tribunal por crimes ambientais

Relacionados

Cinfães: Homem detido por violência doméstica e posse de arma proibida

Um homem de 59 anos foi detido por posse de diversas armas e munições encontradas durante as diligencias de um processo de violência doméstica,...

Barcelos: Homem é detido depois de agredir policias

Um homem de 37 anos foi, na passada na quarta-feira, dia 17 de abril, detido pelo crime de agressão e injúria contra agentes da...

Santo Tirso: Homem que escondia droga num cofre é detido

A PSP deteve, na passada sexta feira, dia 12 de abril, um homem de 25 anos de idade por suspeita de tráfico de droga...

A associação “Jornada Principal” foi, esta semana, ouvida pela Comissão do Ambiente e da Energia e voltou a insistir na necessidade de encerrar o Aterro de Sobrado, em Valongo, devido a se tratar de um equipamento que constitui um crime ambiental.

Apesar desta denúncia, a Agência Portuguesa do Ambiente emitiu a terceira licença para o tratamento de todos os tipos de resíduos ao aterro, alvo de processos em tribunal por crimes ambientais.

Em 2019, a Recivalongo começou a ser acusada de atos de crime ambiental pela população, pela Jornada Principal e pela Camara Municipal apos de ter sido detetado que possuía “mais de 420 licenças para tratar todo o tipo de resíduos”.

A operação em Sobrado resultou também, a nível interno, a instauração de processos em tribunal por ambas as partes e pela autarquia de Valongo.

Na luta pelo encerramento do aterro da associação resultou uma petição que recolheu 5.543 assinaturas.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -