DestaqueCDS PAREDES ACUSA EXECUTIVO PAREDENSE DE AMADORISMO

CDS PAREDES ACUSA EXECUTIVO PAREDENSE DE AMADORISMO

Relacionados

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

Freamunde: viagens escolares levantam suspeitas

Comportamentos de auxiliar aos alunos de Freamunde nas viagens escolares levanta suspeitas Os encarregados de educação de alunos do Centro Escolar de Freamunde estão a...

Paredes: Homem com antecedentes é detido por violência doméstica

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de Penafiel deteve, no passado dia 10 de maio,...

“É injusto para os paredenses assistirem ao que se vem a passar no processo das águas de paredes com mentiras, ocultação de documentos e sem qualquer transparência e rigor” – Ana Raquel Coelho – Vice-Presidente da concelhia de Paredes do CDS

No rescaldo do pedido de alteração legislativa, apresentado pelo Presidente da Câmara Municipal de Paredes, Alexandre Almeida, no sentido do empréstimo contraído para o resgate da concessão de água e saneamento não contar para o endividamento municipal, o CDS, mais uma vez, aponta a falta de transparência na condução de todo o processo de resgate.

Em nota às redações, hoje, dia 26 de maio 2022, a concelhia de paredes do CDS informa que “para a vice-presidente da concelhia do CDS Paredes, Ana Raquel Coelho, “o resgate das águas em Paredes é um processo que, desde o seu início, nunca foi transparente. Como já dissemos e requeremos várias vezes, é necessário dar a conhecer as atas das reuniões entre a CMP e a Be Water. Nunca nos foram apresentadas! Se o Sr. Presidente nada teme, como alega, por favor torne público o ponto de situação deste processo e revele as atas das reuniões com a concessionária, e não nos venha dizer, como já disse, que são negociações que têm que ser escondidas sigilosas, porque é falso, os paredenses têm e merecem saber tudo o que se está a passar, não esconda mais, quer para o bem quer para o mal”.

Na opinião da centrista “não é verosímil que a Câmara não possa aplicar o tarifário social da água alegando que é por culpa da concessionária, uma vez que o Sr. Presidente avocou a si o domínio das águas e saneamento, afirmando que só ainda não tomou conta efetivamente “por questões logísticas”. Recorde-se que a proposta do Tarifário Social da Água foi apresentada em Assembleia Municipal pelo CDS-PP

em julho de 2018 e aprovada na mesma, mas até ao momento ainda não existe nem está a ser aplicada em Paredes, bem como os SMAS deviam ter entrado em pleno funcionamento a 1.01.2022.

A Vice-Presidente do CDS-PP Paredes, Ana Raquel Coelho, ainda questiona “quem vai assumir a responsabilidade e os encargos da construção dos ramais de água e saneamento uma vez que com o resgate a concessionária já não tem obrigação de fazer as ligações? Qual é o ponto de situação, por exemplo do último mês das ligações dos ramais? A Câmara Municipal de Paredes já está a assumir esta responsabilidade decorrente do resgate?”

Para o CDS “este é um processo em que ainda vai correr muita água e cujo fim não está à vista, sendo perfeitamente possível que o atual executivo já cá não esteja para solucionar o problema que agora causou e os paredenses ficaram com uma dívida de muitos milhões de euros para pagar nas futuras gerações e certamente voltarmos a estar no topo do preço mais elevado da água.””

 

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -