3.8 C
Munique
12.5 C
Porto
DestaquePaços de Ferreira - PSD na Câmara Municipal de Paços de Ferreira...

Paços de Ferreira – PSD na Câmara Municipal de Paços de Ferreira vota contra o Orçamento 2023

Relacionados

Paços de Ferreira – Presidente de Câmara Municipal, Humberto Brito, acusado de maus-tratos

O presidente do Município de Pacense, Humberto Brito, foi acusado de violência doméstica contra a mulher, de quem se divorciou. Em 2021, o juiz decide...

PSD de Paredes e Paços de Ferreira visitam CFPIMM

As concelhias políticas do PSD de Paredes e Paços de Ferreira visitaram no passado dia 31 de janeiro, o CFPIMM (Centro de Formação Profissional...

Paredes – Apreensão de material de jogo ilegal

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lordelo, no dia 31 de janeiro, apreendeu material destinado à prática de jogo ilegal,...

Os vereadores do PSD na Câmara Municipal de Paços de Ferreira votaram esta quarta-feira contra o Orçamento 2023 apresentado na reunião do executivo municipal. A tendência do voto dos sociais-democratas prende-se pelo facto da maioria socialista ter apresentado um orçamento que, assenta na continuada estratégica de municipalização do concelho.

“Apesar das obras anunciadas, que votamos favoravelmente, a linha estratégica que está presente é da continuidade de municipalização do concelho. A exclusão do setor associativo empresarial e social permanece, o que para o PSD é um obstáculo ao desenvolvimento do concelho”, justificou o PSD na declaração de voto apresentada na discussão do orçamento, reforçando o apoio incondicional as obras infraestruturantes para o concelho, como vem demonstrando ao longo das suas posições políticas enquanto vereadores da oposição e enquanto governantes do executivo municipal, onde sempre valorizou o desenvolvimento infraestrutural, económico e social.

“Continuamos a assistir a uma gestão ziguezagueante, onde a dotação financeira dos projetos é frequentemente colocada e retirada dos planos plurianuais nos orçamentos, demonstrando uma clara falta de rumo e objetividade na governação”, argumentou o PSD para apresentar na declaração de voto os incumprimentos das propostas apresentadas desde que o executivo PS assumiu a governação, em 2013.

DECLARACAO-DE-VOTO-PSD

“Ponto 1_Proposta de Orçamento 2023

Após analise atenta ao conteúdo das propostas vertidas no orçamento e gop para 2023, tal como já referimos no estatuto de direito de oposição, esperava-se que depois de 9 anos de governação desta maioria socialista, este fosse um orçamento de concretização. No entanto, mesmo com as preocupações manifestadas pelo PSD de Paços de Ferreira ao longo dos anos, fica o registo que os investimentos estruturantes para o concelho continuam, orçamento após orçamento, adiados na sua materialização. O Posto da GNR de Freamunde, a Casa das Artes em Freamunde, a Academia Profissional, sintéticos em todas as Freguesias, a ausência de novas valências sociais, são apenas alguns exemplos.

Não podemos ainda, esquecer os anúncios feitos por esta maioria com pompa e circunstância, com a presença do Dr. Antonio Costa em plena pré-campanha eleitoral para as autárquicas de 2017 em que anunciou a requalificação do Bairro do Outeiro em Freamunde e que até hoje não se encontra concluída. No primeiro mandato desta maioria foi anunciada a requalificação da EB 23 de Paços de Ferreira com um investimento superior a 4M€, obra essa que iria começar no ano seguinte a até hoje não passa de mera intenção e urge ser concretizada.

Aproveitar os fundos comunitários disponibilizados ao abrigo do PRR é fundamental para que o concelho possa conquistar os investimentos que pecam por tardios. As candidaturas agora em curso, que registamos com agrado e já votadas favoravelmente pelo PSD, sejam efetivamente concretizadas e que permitam reverter a estagnação que o concelho viveu nos últimos anos, provocada por uma governação socialista sem estratégia de desenvolvimento integrado do território.

Mesmo com o mérito de algumas propostas constantes neste documento, que o plano de recuperação e resiliência possibilita, continuamos a assistir a uma gestão ziguezagueante, onde a dotação financeira dos projetos é frequentemente colocada e retirada dos planos plurianuais nos orçamentos, demonstrando uma clara falta de rumo e objetividade na governação.

O expoente máximo desta política ziguezagueante é a gestão do processo de concessão de água e saneamento, com entendimentos, acordos, memorandos, tribunais e mais recentemente o anúncio de rescisão, parecendo que ao longo do processo o presidente de camara não foi o mesmo. Dossier que para o PSD, neste documento que hoje votamos, deviam constar todos elementos previsionais e contingências relativas ao pedido de rescisão e consequente gestão pelo Município.

Assistimos ainda a uma ausência de referências relativas ao apoio ao sector económico do concelho, onde o repetido anúncio do plano estratégico para os sectores do mobiliário e do têxtil não saem do papel. A falta de investimento na promoção das marcas de referência do concelho como são a Capital do Movel e o Capão a Freamunde são mais uma vez uma realidade neste orçamento.

A formação profissional que mandato após mandato é bandeira deste executivo, com sucessivos anúncios, não passa disso mesmo, anúncios.

É incompreensível para qualquer cidadão deste concelho a apresentação de um novo investimento de 15 milhões de euros, por esta maioria, para a construção de uma nova ETAR, um ano após o Sr. Presidente de Câmara ter anunciado o pleno funcionamento da requalificação da atual Etar que custou 5 milhões de euros, sem qualquer explicação ou responsáveis.

Neste orçamento, fica mais uma vez manifestada a barreira ideológica desta maioria socialista, onde a incapacidade em delegar ou estabelecer parcerias é notória. As delegações nas Juntas de Freguesia são das mais baixas da região, demonstrando uma falta de confiança nos Sr.(s) Presidentes de Junta, prejudicando um desenvolvimento homogéneo do concelho. Barreira que percorre todo o tecido associativo, onde não existiu a capacidade para desenvolver projetos conjuntos, que fossem potenciadores de uma valorização das instituições e dos projetos, mas mais importante ainda, motivadores da sua implementação.

Lamentamos que relativamente as propostas do PSD ao abrigo do estatuto do direito de oposição se tenha tornado um hábito não as valorizar, ignorando-as, implantando-as nos orçamentos seguintes como medidas suas.

Apesar das obras anunciadas, que votamos favoravelmente, a linha estratégica que está presente é da continuidade de municipalização do concelho. A exclusão do setor associativo empresarial e social permanece, o que para o PSD é um obstáculo ao desenvolvimento do concelho.

Assim, face às considerações expostas, os vereadores do PSD, votam com contra a Proposta de Orçamento 2023.

Paços de Ferreira, 30 de novembro de 2022”

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido