-1.7 C
Munique
5.9 C
Porto
DestaqueParedes - COMUNICADO -

Paredes – COMUNICADO –

Relacionados

Paços de Ferreira – Presidente de Câmara Municipal, Humberto Brito, acusado de maus-tratos

O presidente do Município de Pacense, Humberto Brito, foi acusado de violência doméstica contra a mulher, de quem se divorciou. Em 2021, o juiz decide...

PSD de Paredes e Paços de Ferreira visitam CFPIMM

As concelhias políticas do PSD de Paredes e Paços de Ferreira visitaram no passado dia 31 de janeiro, o CFPIMM (Centro de Formação Profissional...

Paredes – Apreensão de material de jogo ilegal

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lordelo, no dia 31 de janeiro, apreendeu material destinado à prática de jogo ilegal,...

– COMUNICADO –

O PSD Paredes votou contra o Orçamento Municipal e Plano de Atividades para 2023, que prevê um aumento das receitas fiscais de 1.277.214 euros e que ignora as propostas dos seus vereadores ao nível para a Redução da carga fiscal dos munícipes, Saúde, Apoios Sociais, Cultura, Desporto, Infância, Juventude, Ambiente, Mobilidade, Urbanismo, Justiça e Saúde. Grosso modo, estamos a falar de um aumento de impostos na ordem dos 10% face ao ano 2022, que a nosso ver já foram de enorme montante.

O Executivo Municipal espera retirar dos bolsos dos paredenses, sejam eles empresas ou meros cidadãos mais de 15 milhões de euros. Para se ter uma ideia em 2014 o valor rondava os 11,5 milhões de euros.

A Câmara Municipal de Paredes está a tornar o Município no verdadeiro GLUTÃO, limpando dos bolsos dos paredenses o pouco dinheiro que ainda lhes resta! E o mais grave é que este Glutão, que se alimenta vorazmente com os impostos que cobra aos paredenses, o faz apenas para ir sobrevivendo, para alimentar as despesas correntes, para alimentar sete vereadores a tempo inteiro (caso que deve ser único em Portugal num concelho com esta dimensão), para alimentar um aumento de cerca de 50% das Despesas com o Pessoal, de 13 Milhões de euros em 2022 para 20 Milhões de euros em 2023 e para alimentar viagens e outros gastos supérfluos. E mais, as despesas correntes de 54 milhões de euros, são bem superiores às despesas de Capital, o que significa que os paredenses estão a alimentar o Glutão, sem dar prioridade ao investimento em infraestruturas ou equipamentos, o que aliás vem no seguimento dos anos anteriores.

Por outro lado, o Orçamento Municipal está empolado em pelo menos 11 milhões de euros referente a Ativos Financeiros. Trata-se, à semelhança de anos anterior de um mero malabarismo contabilístico visando o empolamento da receita, o que contraria a legislação vigente.

Ao nível da despesa, trata-se de um orçamento despesista, em que as despesas correntes aumentam, face ao ano anterior, cerca de 20%, de 45 milhões de euros para 54 milhões de euros.

Da análise ao documento também se conclui que ainda não vai ser em 2023 que vão ser cumpridos compromissos anteriormente assumidos pelo executivo socialista, tais como, apoiar os jovens na criação de pequenas e médias empresas com 600 mil euros ou garantir os medicamentos gratuitos para todos os maiores de 65 anos.

O Orçamento também ignora um passivo contingente de 120 milhões de euros referente ao processo das Águas de Paredes (Be Water). Estamos a falar de valores que podem colocar em causa a viabilidade financeira do município.

Ricardo Sousa

Presidente da CPS do PSD Paredes

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido