DestaqueParedes - Vota contra

Paredes – Vota contra

Relacionados

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

Freamunde: viagens escolares levantam suspeitas

Comportamentos de auxiliar aos alunos de Freamunde nas viagens escolares levanta suspeitas Os encarregados de educação de alunos do Centro Escolar de Freamunde estão a...

Paredes: Homem com antecedentes é detido por violência doméstica

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de Penafiel deteve, no passado dia 10 de maio,...

Teve lugar no passado dia 09 de Dezembro de 2022 a Assembleia Municipal Extraordinária de Paredes, em que foi discutido e votado o aumento da taxa de gestão dos resíduos urbanos de Paredes para o ano de 2023, a qual veio a ser aprovada com os votos favoráveis do Partido Socialista (PS).

“Este aumento da taxa de gestão dos resíduos urbanos, revela o socialismo, em todo o seu esplendor, numa altura em que o preço de todos os bens essenciais crescem para níveis jamais vistos nos últimos 30 anos, como se tem visto pela taxa de inflação, o governo e o município atingem a população com mais taxas”, afirmou Jorge Ribeiro da Silva, deputado da bancada do CDS-PP, naquela assembleia.

Para o deputado, “se o executivo municipal defende que tem que cumprir a lei, não se compreende porque é que não utiliza as excepções previstas no mesmo diploma legal, que nasceu, aliás, quando o país viveu em estado de excepção, como o estado de emergência.”

Recorde-se que em sede de reunião de câmara, o líder do executivo afirmou que as pessoas mais necessitadas poderiam recorrer à acção social do município.

Ora, para Jorge Ribeiro da Silva, “esta solução é mais gravosa, não apenas porque é o próprio autarca que pretende fintar a lei que diz respeitar de forma responsável, como pretende que a pobreza escondida ganhe rosto corado de vergonha, nos paços do concelho. Será substituir políticas estruturais por “caridadezinha”, rematou.

A comissão política concelhia do CDS-PP

WORKIT-12ano

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -