DestaqueValongo: Município mantém Presidência da Rede de Autarquias Participativas

Valongo: Município mantém Presidência da Rede de Autarquias Participativas

Relacionados

Cinfães: Homem detido por violência doméstica e posse de arma proibida

Um homem de 59 anos foi detido por posse de diversas armas e munições encontradas durante as diligencias de um processo de violência doméstica,...

Barcelos: Homem é detido depois de agredir policias

Um homem de 37 anos foi, na passada na quarta-feira, dia 17 de abril, detido pelo crime de agressão e injúria contra agentes da...

Santo Tirso: Homem que escondia droga num cofre é detido

A PSP deteve, na passada sexta feira, dia 12 de abril, um homem de 25 anos de idade por suspeita de tráfico de droga...

O município de Valongo vai continuar na presidência da Rede de Autarquias Participativas com um mandato de dois anos. Também os municípios de Braga, Cascais, Funchal, Fundão, Guimarães, Lagoa – Açores, Lagoa – Algarve Lourinhã, Mealhada, Maia, Odemira e Torres Vedras, e a União de Freguesias de Massamá e Monte Abraão, vão atuar como vice-presidentes.

A Rede de Autarquias Participativas é uma plataforma de colaboração, constituída em 2014, que reúne um vasto grupo de membros, de todas as regiões do país, onde a presidência assume como desafio “a contribuir para o aprofundamento e a qualificação dos processos de participação a nível local”.

O Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro assumiu que “é com muita honra e com um sentido de responsabilidade acrescido que assumimos novamente a presidência da Rede das Autarquias Participativas. Vamos prosseguir a partilha de boas práticas participativas e empenharmo-nos cada vez mais para envolver os cidadãos de todas as idades na gestão pública e no fortalecimento das nossas democracias. Só com a promoção e a execução de melhores práticas de cidadania esclarecida e informada será possível combater os populismos que ameaçam os sistemas democráticos à escala local, nacional e global”.

O plano de trabalho para os próximos dois anos fazem parte, entre outras ações, a criação de novas ferramentas de trabalho, a disponibilizar às autarquias, com vista à autoavaliação e qualificação dos processos participativos, a produção de diversas publicações sobre metodologias de participação pública, o reforço da relação entre as práticas e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o incremento à criação de sistemas de participação, a capacitação dos recursos humanos das autarquias e o lançamento de um novo portal da Rede.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -