DestaqueArtur Mesquita acusa Ministério da Educação de bullying contra os filhos

Artur Mesquita acusa Ministério da Educação de bullying contra os filhos

Relacionados

Paços de Ferreira: Três homens detidos por furto qualificado

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Felgueiras deteve, no passado dia 22 de maio, três homens com...

Paços de Ferreira: Monte do Pilar recebe Prova de Trial

No próximo dia 26 de maio, o Monte do Pilar, em Penamaior, vai receber uma prova do Campeonato Nacional de Trial, inserida no calendário...

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

A família reside em Famalicão, e os alunos ficaram retidos no último ano letivo por não frequentarem a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, encontrando-se em risco de chumbar novamente, por não frequentarem a disciplina.

De acordo com a Revista Sábado, “para ‘impedir’ que Tiago, no 7º ano, e Rafael Mesquita Guimarães, no 9º ano, sejam reprovados, os pais avançaram, a 29 de junho, com uma providência cautelar “alegando objeção de consciência e defendendo que cabe à família, não à escola, educar os filhos em matérias como a sexualidade”.

O JN refere que os jovens chumbaram novamente, apesar do aproveitamento geral nas demais disciplinas, avançando ainda que a “providência cautelar do ano passado, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga deu razão parcial aos pais, em fevereiro deste ano, permitindo que os alunos avançassem nas disciplinas em que tinham tido aproveitamento, considerando que o interesse das crianças, de progredir os estudos noutras disciplinas, devia prevalecer sobre o cumprimento da legalidade subjacente ao currículo escolar”.

Artur Mesquita, pai dos alunos, avançou à Rádio Renascença que os filhos “são ‘reféns’ do Estado e da escola, que acusa de tudo fazerem para que não passem de ano”, acrescentando que “a escola e o Ministério da Educação continuam a querer perseguir os seus filhos. Tomaram-nos como reféns e estão a fazer tudo para que isso [o chumbo do ano] aconteça”, conclui. O pai dos alunos acusou a escola e o Ministério tutelado por Tiago Brandão Rodrigues de perseguição e “bulliyng”.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -