Destaque40 entidades regionais da CIM do Tâmega e Sousa reuniram-se para debater...

40 entidades regionais da CIM do Tâmega e Sousa reuniram-se para debater o combate à violência doméstica

Relacionados

Paredes: Homem morre após despiste de mota

Um homem, de 29 anos, morreu, no último sábado, dia 20 de julho, na sequência de um acidente na Rua da Ferrugenta em Lordelo,...

Paredes: Idosa morre após despiste de carro

Uma idosa, de 81 anos, morreu, na manhã do passado dia 17 de julho, quando o carro que conduzia se despistou e embateu contra...

Lousada: Homem é detido para cumprimento de pena de prisão efetiva

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lousada relatou através de um comunicado que deteve, no passado dia 9 de julho,...

Na passada terça-feira, na sede da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), em Penafiel, realizou-se a primeira reunião da Comissão Técnica de Acompanhamento do Protocolo de Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, constituída pelos representantes de 40 entidades, nomeadamente a CIM do Tâmega e Sousa e os 11 municípios que a integram.

O protocolo, coordenado pela CIM do Tâmega e Sousa, tem como objetivo criar e potenciar a rede local de parcerias e melhorar a resposta de prevenção e combate à violência contra as mulheres e à violência doméstica, no âmbito da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 – Portugal + Igual e respetivo plano de ação para a prevenção e combate à violência contra as mulheres e à violência doméstica 2018-2021, em articulação com o plano de ação para a igualdade entre mulheres e homens 2018-2021 e o plano de ação para o combate à discriminação em razão da orientação sexual, identidade e expressão de género, e características sexuais 2018-2021.

Na primeira reunião da Comissão Técnica de Acompanhamento, a qual decorreu no mês de novembro, no âmbito da eliminação da violência contra a mulher, foi feito um ponto de situação do trabalho realizado desde a constituição da Rede Intermunicipal e Integrada de Apoio à Vítima do Tâmega e Sousa, constituída por 11 estruturas de atendimento e apoio às vítimas de violência doméstica, uma em cada município que integra a CIM do Tâmega e Sousa, tendo-se procurado ainda auscultar as entidades locais, regionais e nacionais com vasta experiência na temática da violência contra as mulheres e a violência doméstica relativamente ao plano de ação para 2022.

O protocolo veio reforçar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido neste domínio, pela CIM do Tâmega e Sousa, enquanto entidade coordenadora da Rede Intermunicipal e Integrada de Apoio à Vítima do Tâmega e Sousa e primeira rede intermunicipal a ser constituída no país que, para além do apoio social, psicológico e jurídico às vítimas, faz ainda a articulação com as restantes estruturas e respostas da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, tendo em vista uma maior proximidade e eficácia da intervenção.

A par da CIM do Tâmega e Sousa e dos municípios que a integram, a Comissão de Acompanhamento e os representantes da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, os Centros Distritais de Segurança Social do Instituto da Segurança Social de Aveiro, Braga, Porto e Viseu, o Instituto de Emprego e Formação Profissional, a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, a Direção-Geral da Administração Escolar, a Administração Regional de Saúde do Norte, as Procuradorias da República das Comarcas de Aveiro, Braga, Porto-Este e Viseu, o Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, a Guarda Nacional Republicana, as Comissões de Proteção das Crianças e Jovens dos municípios que integram a CIM do Tâmega e Sousa e a Associação para o Desenvolvimento de Figueira.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -