RegionalCâmara de Valongo reduz IMI em mais 2,5%

Câmara de Valongo reduz IMI em mais 2,5%

Relacionados

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

Freamunde: viagens escolares levantam suspeitas

Comportamentos de auxiliar aos alunos de Freamunde nas viagens escolares levanta suspeitas Os encarregados de educação de alunos do Centro Escolar de Freamunde estão a...

Paredes: Homem com antecedentes é detido por violência doméstica

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de Penafiel deteve, no passado dia 10 de maio,...

Com o intuito de dar continuidade ao processo de redução da taxa de IMI, de forma a atingir o percentual de 0,35%, valor inferior ao praticado em 2013, a Câmara Municipal de Valongo vai reduzir novamente a taxa do IMI aplicável a prédios urbanos. Assim, a proposta de fixação do IMI para 2024, hoje aprovada em reunião de Câmara, prevê uma redução de 2,5%, fixando-se a taxa em 0,36%.

“Mantemos o compromisso de diminuição progressiva do IMI e em 2025 alcançaremos o objetivo de ter um IMI menor do que aquele que era praticado antes de iniciarmos este ciclo governativo. Este é um forte sinal de esperança que damos às famílias e às empresas. Esta redução dos impostos só é possível, fruto da gestão rigorosa dos recursos públicos que implementamos nos dois últimos mandatos e que nos permite abdicar de uma percentagem significativa de receita”, considera o Presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, salientando que a carga fiscal no concelho de Valongo é uma das menores da região Norte.

“É a ajuda possível que estamos em condições de dar às famílias e às empresas do nosso concelho. Uma alteração radical dos impostos só serviria para comprometer a nossa capacidade de investir e de redistribuir os parcos recursos públicos de forma equilibrada e com justiça social”, sublinha o autarca, referindo os contextos de incerteza a nível europeu e mundial.

A proposta de fixação das taxas de IMI para o ano de 2024 para os prédios urbanos mantém igualmente as reduções em função do número de dependentes do agregado familiar: 20€ (para um dependente), 40€ (para dois) ou 70€ (para três ou mais); bem como as majorações para imóveis degradados que não cumpram satisfatoriamente a sua função ou façam perigar a segurança de pessoas e bens (mais 30%), para prédios rústicos com áreas florestais em situação de abandono (para o dobro) e para prédios que se encontrem devolutos ou em ruínas há mais de um ano (para o triplo).

Na reunião de hoje foi também aprovado o lançamento de derrama, a vigorar em 2024, na percentagem de 1,5% sobre o lucro tributável de 2024 sujeito e não isento de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC), bem como a taxa reduzida de 1,00% para os sujeitos passivos com um volume de negócios em 2023 inferior a 150.000€.

Com o intuito de continuar a garantir a estabilidade financeira da Autarquia, foi proposto manter a fixação da taxa de 5% como participação variável no IRS, a incidir sobre os rendimentos de 2024. Foi também deliberado propor à Assembleia Municipal a fixação da Taxa Municipal de Direitos de Passagem em 0,25% para vigorar em 2024.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -