DestaqueComissão política do PSD de Paços de Ferreira irá a eleições no...

Comissão política do PSD de Paços de Ferreira irá a eleições no próximo dia 4 de dezembro

Relacionados

Paços de Ferreira: Três homens detidos por furto qualificado

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Felgueiras deteve, no passado dia 22 de maio, três homens com...

Paços de Ferreira: Monte do Pilar recebe Prova de Trial

No próximo dia 26 de maio, o Monte do Pilar, em Penamaior, vai receber uma prova do Campeonato Nacional de Trial, inserida no calendário...

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

O PSD de Paços de Ferreira realizou um Plenário no passado dia 5 de novembro relativo à prestação de contas e um balanço sobre os resultados das últimas eleições autárquicas.

No decorrer do evento, a comissão política liderada por Alexandre Costa apresentou a demissão, o que levou à marcação de eleições antecipadas para o próximo dia 4 de dezembro.

O presidente demissionário adiantou, na intervenção realizada, que será recandidato à liderança da comissão política concelhia e que a decisão da demissão está relacionada com o acerto do calendário para ajuste com os períodos dos mandatos autárquicos.

De acordo com Alexandre Costa, “com o atual calendário, as eleições para a comissão política do PSD Paços de Ferreira seriam um ano antes das próximas autárquicas, o que condicionava toda a atuação nos preparativos para essas eleições”, o acerto em causa será importante, de acordo com o ponto de vista do líder do partido, para preparar as próximas eleições com prazos mais ajustados, nomeadamente na escolha dos seus candidatos.

A medida em causa, de acordo com o PSD de Paços de Ferreira, pretende demonstrar que o partido está empenhado em construir as bases necessárias para trabalhar coletivamente e com proximidade com os concidadãos. O PSD pacense considera que, enquanto oposição, deverá “fiscalizar o executivo da Câmara Municipal, mas também continuar a trabalhar para voltar a merecer a confiança dos eleitores do concelho. E esta reorganização no calendário será importante para podermos desenvolver o nosso trabalho de forma mais interventiva e ajustada com a realidade de cada mandato autárquico”, concluiu, em nota, o partido.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -