DestaqueMarco de Canaveses manterá baixa de impostos em 2022

Marco de Canaveses manterá baixa de impostos em 2022

Relacionados

Paredes: Homem morre após despiste de mota

Um homem, de 29 anos, morreu, no último sábado, dia 20 de julho, na sequência de um acidente na Rua da Ferrugenta em Lordelo,...

Paredes: Idosa morre após despiste de carro

Uma idosa, de 81 anos, morreu, na manhã do passado dia 17 de julho, quando o carro que conduzia se despistou e embateu contra...

Lousada: Homem é detido para cumprimento de pena de prisão efetiva

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lousada relatou através de um comunicado que deteve, no passado dia 9 de julho,...

A Câmara Municipal do Marco de Canaveses aprovou, ontem, a manutenção do IMI, derrama e IRS com taxas reduzidas em 2022, prescindindo de uma receita estimada em 1,6 milhões de euros a favor das famílias e empresas. As propostas seguirão para deliberação na Assembleia Municipal, um órgão a quem cabe a decisão final sobre a política fiscal da autarquia.

A presidente da Câmara Municipal, Cristina Vieira, sublinha que a “pretensão é continuar a apoiar as famílias e empresas através do alívio dos impostos municipais”, acrescentando que significa estar a “abdicar de receita adicional que fica no bolso dos marcuenses”. Procuramos, igualmente, proporcionar através da política fiscal “um incentivo à retoma dos pequenos negócios e um forte estímulo à promoção do investimento empresaria e à criação de emprego”.

De acordo com a proposta do Executivo Camarário, aprovada por unanimidade, o Imposto Municipal sobre Imóveis manter-se-á na taxa mínima de 0,3% do valor patrimonial dos imóveis com reduções previstas em função do número de dependentes a cargo de cada família ou individuo, nomeadamente 40 euros para famílias com dois dependentes e 70 euros para famílias com três ou mais dependentes a cargo.

Relativamente ao IRS, os municípios irão receber até 5% do imposto declarados pelos cidadãos com residência fiscal no concelho e, neste caso, a autarquia do Marco aprovou, por maioria, cinco votos a favor do Executivo Socialista e abstenção dos dois vereadores do PSD e CDS. A proposta à Assembleia Municipal é que essa participação seja de apenas 4%.

O executivo aprovou, ainda, pela mesma maioria, a submissão da proposta para fixação da derrama sobre o lucro das empresas com volume de negócios acima de 150 mil euros em 1%, isentando do imposto as que não ultrapassem esse mesmo volume de negócios.

O vereador com o pelouro das Finanças, Nuno Pinto, explica que “o valor aproximado deste alívio fiscal é de 1,6 milhões de euros”, acrescentando que “esta é a política que, sem populismos fáceis, tem permitido o equilíbrio entre a competitividade fiscal no Município e a manutenção das boas contas municipais, ao mesmo tempo permitindo devolver liquidez às empresas e rendimento disponível aos marcuenses”.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -