10.3 C
Munique
20.7 C
Porto
RegionalPSD de Valongo questiona a autarquia após suspeita de corrupção que impende...

PSD de Valongo questiona a autarquia após suspeita de corrupção que impende Nuno Araújo

O partido quer saber qual a contribuição que a E.Q.S. teve para o município

Relacionados

Inspeção das motas será obrigatória a partir de 1 de janeiro de 2022

O Secretária de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, avançou ao Jornal de Negócios, esta segunda-feira, que “a partir de 1 de janeiro de 2022,...

Detido em Penafiel por agressão física e psicológica à esposa

A GNR do Penafiel deteve, na passada quinta-feira, um homem de 54 anos por violência doméstica no concelho de Penafiel. No decorrer de uma investigação...

Presidente da Iniciativa Liberal visitou ETAR de Paços de Ferreira após denúncias de habitantes

Hoje, a Iniciativa Liberal reuniu o candidato à Assembleia da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, João Carneiro, e o Presidente da Iniciativa Liberal,...

O PSD de Valongo avança ter sido surpreendido, ontem, face às notícias relativas às suspeitas do tráfico de influências e corrupção que imputam Nuno Araújo, antigo chefe do Gabinete do Ministro Pedro Nuno Santos, atual Presidente da APDL e do Partido Socialista de Penafiel.

As suspeitas referem-se à atividade da empresa E.Q.S, na qual Nuno Araújo era sócio-gerente e que beneficiou de diversos contratos de serviços celebrados com diversas autarquias, uma delas a de Valongo, refere o PSD de Valongo em nota.

Verifica-se, por consulta ao portal base.gov, que a empresa celebrou dois contratos com o concelho de Valongo, nomeadamente a 2 de maio de 2016, com Inspeções periódicas, reinspecções e inspeções extraordinárias aos equipamentos elevatórios existentes no Concelho de Valongo pelo período de três anos (24.390,24 euros + IVA), avança o partido.

O segundo contrato está datado em 26 de setembro de 2018, com inspeções periódicas, reinspeções e inspeções extraordinárias ao equipamento elevatório existente no Concelho de Valongo, por um período de 36 meses (63.000,00 euros +IVA).

Face a estes factos, o Partido Social Democrata de Valongo procura esclarecer se se confirma “a presença da Polícias Judiciária no município por questões relacionadas com este caso e se confirma que os elementos solicitados respeitam aos contratos de prestação de serviços atrás mencionados”.

Por outro lado, o PSD de Valongo avança a necessidade de perceber “quais as razões que levaram o município a celebrar um contrato com a E.Q.S., com o mesmo objeto, em 26.09.2018, sem estar terminado o prazo de vigência do contrato celebrado em 02.05.2016?” e “quais os serviços efetivamente prestados ao município, no âmbito dos citados contratos, indicando os locais e datas em que os mesmos se realizaram?”, questiona, em nota, o PSD de Valongo.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido