DestaqueBaião - SAP terminou 2022 e começou 2023  sem médico

Baião – SAP terminou 2022 e começou 2023  sem médico

Relacionados

Santo Tirso: Homem que escondia droga num cofre é detido

A PSP deteve, na passada sexta feira, dia 12 de abril, um homem de 25 anos de idade por suspeita de tráfico de droga...

Paços De Ferreira: Ciclovia que liga Paços de Ferreira a Freamunde é inaugurada

A Câmara Municipal de Paços de Ferreira inaugurou, no passado domingo, 14 de abril, a ciclovia que faz a ligação entre as cidades de...

Paços de Ferreira: Atletas Pacenses destacam-se no Campeonato Nacional

Nos passados dias 4 e 7 de abril, o Complexo Olímpico de Piscinas de Coimbra recebeu os Campeonatos Nacionais de Juvenis, Juniores e Absolutos...

– Comunicado –

“Situação voltará a agravar-se a partir desta quarta-feira

O Serviço de Atendimento Permanente (SAP) no Centro de Saúde de Baião está sem médicos para atender os utentes que recorrem a esta unidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

«A bem da verdade, nesta terça-feira há um médico de serviço mas amanhã e nos dias seguintes deixa de haver clínico, tal como sucedeu entre a passada sexta feira, 30 de dezembro e ontem, 2 de janeiro», explica Paulo Portela, vereador do PSD.

Para o PSD Baião esta situação «é inaceitável» e exige «uma tomada de posição enérgica da Câmara de Baião que, sobre o assunto, ainda permanece adormecida, talvez embalada pela quadra festiva à espera dos Reis. A saúde dos baionenses não se compadece com férias festivas» referiu a Presidente do PSD Baião , Ana Raquel Azevedo.

Para além do dever e obrigação de defender a saúde e bem estar dos baionenses, no entender do vereador do PSD, Paulo Portela, a Câmara tem de pedir explicações ao Ministério da Saúde, concretamente à ARS Norte que tutela este Serviço de Saúde no sentido de obter cabais explicações para a reiterada falta de médicos neste serviço

Sem médico no SAP os utentes têm que se deslocar para outros concelhos vizinhos como Resende , Cinfães ou em último recurso às urgências hospitalares  de Penafiel e Amarante percorrendo distâncias  muito consideráveis.

«Este tipo de falha no SNS acaba por resultar no entupimento das urgências hospitalares, além claro dos prejuízos e incómodos que esta situação provoca nos doentes e respectivas famílias de baionenses» ressalva Ana Raquel Azevedo, presidente da concelhia de Baião.”

WORKIT-12ano

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -