-1.1 C
Munique
8.6 C
Porto
DestaqueBaião - SAP terminou 2022 e começou 2023  sem médico

Baião – SAP terminou 2022 e começou 2023  sem médico

Relacionados

Paços de Ferreira – Presidente de Câmara Municipal, Humberto Brito, acusado de maus-tratos

O presidente do Município de Pacense, Humberto Brito, foi acusado de violência doméstica contra a mulher, de quem se divorciou. Em 2021, o juiz decide...

PSD de Paredes e Paços de Ferreira visitam CFPIMM

As concelhias políticas do PSD de Paredes e Paços de Ferreira visitaram no passado dia 31 de janeiro, o CFPIMM (Centro de Formação Profissional...

Paredes – Apreensão de material de jogo ilegal

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lordelo, no dia 31 de janeiro, apreendeu material destinado à prática de jogo ilegal,...

– Comunicado –

“Situação voltará a agravar-se a partir desta quarta-feira

O Serviço de Atendimento Permanente (SAP) no Centro de Saúde de Baião está sem médicos para atender os utentes que recorrem a esta unidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

«A bem da verdade, nesta terça-feira há um médico de serviço mas amanhã e nos dias seguintes deixa de haver clínico, tal como sucedeu entre a passada sexta feira, 30 de dezembro e ontem, 2 de janeiro», explica Paulo Portela, vereador do PSD.

Para o PSD Baião esta situação «é inaceitável» e exige «uma tomada de posição enérgica da Câmara de Baião que, sobre o assunto, ainda permanece adormecida, talvez embalada pela quadra festiva à espera dos Reis. A saúde dos baionenses não se compadece com férias festivas» referiu a Presidente do PSD Baião , Ana Raquel Azevedo.

Para além do dever e obrigação de defender a saúde e bem estar dos baionenses, no entender do vereador do PSD, Paulo Portela, a Câmara tem de pedir explicações ao Ministério da Saúde, concretamente à ARS Norte que tutela este Serviço de Saúde no sentido de obter cabais explicações para a reiterada falta de médicos neste serviço

Sem médico no SAP os utentes têm que se deslocar para outros concelhos vizinhos como Resende , Cinfães ou em último recurso às urgências hospitalares  de Penafiel e Amarante percorrendo distâncias  muito consideráveis.

«Este tipo de falha no SNS acaba por resultar no entupimento das urgências hospitalares, além claro dos prejuízos e incómodos que esta situação provoca nos doentes e respectivas famílias de baionenses» ressalva Ana Raquel Azevedo, presidente da concelhia de Baião.”

WORKIT-12ano

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido