DestaqueParedes - Celso Ferreira absolvido

Paredes – Celso Ferreira absolvido

Relacionados

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

Freamunde: viagens escolares levantam suspeitas

Comportamentos de auxiliar aos alunos de Freamunde nas viagens escolares levanta suspeitas Os encarregados de educação de alunos do Centro Escolar de Freamunde estão a...

Paredes: Homem com antecedentes é detido por violência doméstica

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de Penafiel deteve, no passado dia 10 de maio,...

O antigo presidente da Câmara Municipal de Paredes, Celso Ferreira, eleito pelo PSD, foi absolvido em audiência de julgamento no Tribunal de Penafiel, no dia de ontem.

1.OK_.W.1

O coletivo de juízes entendeu que a prova apresentada, foi inconsistente e insuficiente.

Ao JN, “Celso Ferreira, à saída do tribunal, repetindo que este processo nasceu “de dezenas de queixas anónimas” apresentadas com o “objetivo de um benefício político eleitoral”. Garantiu ainda que todas as entidades que investigaram este processo sabiam da sua “retidão””.

Este era um processo em que o Ex. Presidente do Município de Paredes estava a ser julgados á vários anos, estavam em causa dois crimes de prevaricação motivados pelos projetos dos centros escolares que foram construídos durante a sua governação.

Em causa estavam os procedimentos de contratação e adjudicação pública, da arquitetura e fiscalização de 15 centros escolares no município de Paredes. A acusação assentou na divisão dos projetos em concurso em empreitadas de menores dimensões, por forma a ser possível a adjudicação direta de diversas obras de dimensões mais reduzidas.

No entanto, o Tribunal entendeu que apesar das irregularidades formais nos processos de contratação pública, fica provado, que o ex. autarca, Celso Ferreira, não agiu contra o direito ou de forma consciente, este agiu sempre na sequência dos pareceres técnicos disponíveis. Não existiu intuito de lesar ou beneficiar alguém.

Ao JN, o Ex. autarca Celso Ferreira “depois de ouvir a leitura do acórdão e da sua absolvição, mostrou-se “satisfeito”, porque, considera, “não sobrou dúvida alguma sobre a minha conduta”. “Resta-me a enorme felicidade destas decisões que fui tomando terem contribuído para um avanço geracional na Educação em Paredes. E se este é o preço a pagar para que as crianças de Paredes tenham um futuro melhor, pois que assim seja””.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -