DestaqueGoverno avançou Portugal como líder da vacinação no mundo com dados errados

Governo avançou Portugal como líder da vacinação no mundo com dados errados

Relacionados

Paredes: Dois homens com antecedentes detidos por roubo

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal de Penafiel deteve, no passado dia 12 de junho, dois homens de 28...

Santo Tirso: Câmara Municipal alvo de buscas pela PJ

A Polícia Judiciária do Porto realizou, na passada quarta-feira, dia 12 de junho, buscas na Câmara Municipal de Santo Tirso e em três empresas...

AD e PS dividem vitórias nos Concelhos da Região do Tâmega e Sousa

A população europeia, foi, no passado dia 09 de junho, chamada a votar para eleger os assentos no Parlamento Europeu. Na região do Tâmega...

Na passada sexta-feira, dia 2 de julho, o Governo português anunciou que o país como líder da vacinação contra a Covid-19 na União Europeia. A informação proveniente do site “Our World in Data”, a confirmar-se, vincaria Portugal como o país da Europa com maior ritmo de administração de vacinas, como líder mundial na vacinação entre o final de junho e início de julho, avança a revista Sábado.

Com base nos dados avançados pelo Ministério da Saúde, estavam apontadas 200 mil vacinas administradas, nalguns dias, em Portugal. No entanto, os números avançados pela task force portuguesa, liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo, são diferentes, confirmando à revista Sábado que “os seus registos são os oficiais e que esse patamar ainda não tinha sido atingido” apesar de que, com a aceleração da vacinação em Portugal, já tenha sido possível alcançar a liderança a nível mundial, avança o Observador.

Apesar do Ministério da Saúde avançar que a explicação estaria no facto de a meio de junho terem passado a ser incluídos os dados da vacinação nos Açores e na Madeira e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde garantirem que a origem dos dados que usam para calcular o ritmo da vacinação é a Plataforma Nacional de Registos e Gestão da Vacinação, a revista Sábado afirma ter feito as contas e que “a soma continua a não bater certo”, e que os dados do ministério e da task force não condizem.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -