10.3 C
Munique
20.7 C
Porto
NacionalGoverno cria métodos de arrendamento urgente

Governo cria métodos de arrendamento urgente

O Governo criou condições de resposta mais eficiente a pessoas sem possibilidades de assegurar a própria habitação. Serão atribuídos meios processuais aos arrendatários para efetivação dos próprios direitos.

Relacionados

Inspeção das motas será obrigatória a partir de 1 de janeiro de 2022

O Secretária de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, avançou ao Jornal de Negócios, esta segunda-feira, que “a partir de 1 de janeiro de 2022,...

Detido em Penafiel por agressão física e psicológica à esposa

A GNR do Penafiel deteve, na passada quinta-feira, um homem de 54 anos por violência doméstica no concelho de Penafiel. No decorrer de uma investigação...

Presidente da Iniciativa Liberal visitou ETAR de Paços de Ferreira após denúncias de habitantes

Hoje, a Iniciativa Liberal reuniu o candidato à Assembleia da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, João Carneiro, e o Presidente da Iniciativa Liberal,...

O Concelho de Ministros avançou, hoje, com dois importantes instrumentos na promoção da universalidade do direito à habitação e no reforço das respostas habitacionais, bem como da proteção dos arrendatários. Neste sentido, foi criada uma Bolsa Nacional de Alojamento Urgente e Temporário e o Serviço de Injunção em Matéria de Arrendamento.

A Bolsa Nacional de Alojamento Urgente e Temporário visa estruturar e reforçar a disponibilização de “soluções de alojamento de emergência ou de transição para pessoas em situação de risco e emergência”, aponta nota.

Por outro lado, criou-se uma rede “mais ágil e comunicativa nas respostas habitacionais” de forma a permitir uma resposta mais eficiente às necessidades identificadas, de acordo com a “existência de eventos imprevisíveis ou excecionais à necessidade de resposta a pessoas vítimas de violência doméstica ou de tráfico de seres humanos, pessoas ao abrigo da proteção internacional ou pessoas em situação de sem-abrigo”, refere o Governo em nota.

Este foi um dos investimentos previstos no Plano de Recuperação e Resiliência, procurando reforçar até 2026 mais de 2 mil respostas existentes.

No que diz respeito ao mecanismo de proteção de arrendatários, hoje foi aprovado a criação do Serviço de Injunção em Matéria de Arrendamento, visando reforçar a “segurança e estabilidade do arrendamento urbano e atribuindo aos arrendatários um novo meio processual destinado à efetivação dos seus direitos, nomeadamente em caso de execução de obras em substituição do senhorio”.

Este mecanismo procura essencialmente salvaguardar um equilíbrio na relação contratual e a existência de efetivos meios de defesa para ambas as partes.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido