9.9 C
Munique
15.8 C
Porto
OpiniãoA treinar desde 2013…

A treinar desde 2013…

Relacionados

Receita da Câmara Municipal de Paços de Ferreira quase triplica entre 2012 e 2021

Quem assistiu aos debates municipais do concelho de Paços de Ferreira nos órgãos de comunicação social regionais, que desde já quero agradecer o profissionalismo...

Meio campo, meio sintético

‘Longos dias têm cem anos’, neste caso em particular têm-se demonstrado anos muito curtos, uma vez que passados 12 anos de governação deste executivo...

Jorge Sampaio: o futuro do passado?

A morte de Jorge Sampaio fez emergir um conjunto de memórias e debates acerca da importância desta figura ímpar da democracia Portuguesa e, também,...

No dia 8/3/2018, era difundido um artigo de opinião, escrito por mim, num jornal local, que dizia, “essa bolha que continua a crescer sempre que o presidente da Câmara e os deputados do PS fazem questão de lembrar nas assembleias municipais. Responsabilizam, sempre, o PSD pelos 37 anos de má gestão e que arrastam as dificuldades diárias de funcionamento da autarquia. Mas, se essa história da dívida já todos os cidadãos a conhecem, não estará na hora de o PSD, em voz alta e em frente aos deputados da assembleia municipal e aos cidadãos, assumirem que a dívida surgiu nos seus mandatos? Afinal de contas, foram os únicos que estiveram no poder até 2013.”

Pois bem, há agora depois de conhecidos os candidatos à câmara municipal e respetivas juntas de freguesia no concelho de Paços de Ferreira, motivos mais que suficientes para levantarmos algumas questões que, uma vez mais, a probabilidade de ficarem sem resposta é imensa, uma vez que a resposta será incomoda a quem a deve dar.

Nas eleições autárquicas de 2017, verificamos presidentes de junta de freguesia a mudar de um partido para o outro sem darem qualquer explicação à comunidade. Estes saíram do PSD, partido que, segundo o PS, criou uma dívida monumental autárquica nos 37 anos de governação. Foram também estes que encabeçaram ou deram apoio às candidaturas do novo PS. Nessa altura o PSD foi acusado de ter executado “gestão danosa”, de terem sido “bufos”, entre outros apelidos que se iam ouvindo pela cidade e até nas próprias Assembleias Municipais.

No entanto, passados 8 anos de governação do PS e 4 anos desde as últimas eleições autárquicas, verificamos que a estratégia vencedora em 2017, hoje, é uma vez mais uma realidade. Verificamos agora que o recandidato do PS, apoiado por este PS (gestão da candidatura autárquica), vir a público dizer que sente saudades dos tempos dos ex. presidentes do município eleitos pelo PSD, além disto, verificamos ex. presidentes de junta de freguesia do PSD, vir agora transferir o seu apoio a candidatos da atual candidatura do PS.

Num passado não muito longínquo, tenho memória que o ex. presidente do PS concelhio nessa altura, atual vice-presidente da câmara municipal eleito pelo PS, recandidato ao mesmo lugar por este PS, e mandatário desta candidatura do PS, “patrocinou” um processo em tribunal contra um ex. presidente de junta de uma freguesia PSD, por motivos de terrenos “baldios”, que suscitaram grandes dúvidas e discussões significativas nas assembleias municipais da época, o que não deixa de ser curioso existir agora um apoio mútuo em 2021, dos mesmos intervenientes, o que mudou?

https://www.rtp.pt/noticias/pais/ps-de-pacos-de-ferreira-acusa-camara-de-construir-em-reserva-ecologica_n38991

Caro leitor, está confuso, sente-se enganado?

Na tentativa de o/a clarificar a questão que deve colocar a si próprio pode ser esta: se a culpa de tudo o que é mau é do PSD e dos autarcas que criaram o “monstro”, porque é que agora esses que criaram o monstro e têm culpa de tudo, vêm apoiar este novo PS e a equipa de Humberto Brito?

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido