13.7 C
Munique
23.6 C
Porto
OpiniãoAs Asas dos Bancos Públicos

As Asas dos Bancos Públicos

No meu quarto, junto à cama, tenho duas mesas-de-cabeceira e, em cima delas, tenho livros e candeeiros. Na minha sala, tenho um sofá, uma televisão e uma mesa, que, aos fins-de-semana, aproveito para pousar os pratos, os copos e os talheres.

Relacionados

Receita da Câmara Municipal de Paços de Ferreira quase triplica entre 2012 e 2021

Quem assistiu aos debates municipais do concelho de Paços de Ferreira nos órgãos de comunicação social regionais, que desde já quero agradecer o profissionalismo...

Meio campo, meio sintético

‘Longos dias têm cem anos’, neste caso em particular têm-se demonstrado anos muito curtos, uma vez que passados 12 anos de governação deste executivo...

Jorge Sampaio: o futuro do passado?

A morte de Jorge Sampaio fez emergir um conjunto de memórias e debates acerca da importância desta figura ímpar da democracia Portuguesa e, também,...

Tenho a certeza que nas vossas casas estas divisões acolhem os mesmos objectos, porque, na nossa terra, há hábitos que unem as nossas diferenças. 

Se estamos de acordo quanto a isso, estamos então de acordo que os hábitos que unem as nossas diferenças pertencem a objectos que, em determinado momento ou em determinado local, estão colocados numa determinada forma.

Portanto, se um banco público serve para alguém sentar a anca, então, o banco público tem que ser estar colocado numa zona acessível. Não é o que acontece com os bancos que estão em frente do Agrupamento de Escolas de Lordelo.

É no pormenor que fazemos a diferença.

 

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido