13.7 C
Munique
23.6 C
Porto
OpiniãoPoliticArtes (#10)

PoliticArtes (#10)

Relacionados

Receita da Câmara Municipal de Paços de Ferreira quase triplica entre 2012 e 2021

Quem assistiu aos debates municipais do concelho de Paços de Ferreira nos órgãos de comunicação social regionais, que desde já quero agradecer o profissionalismo...

Meio campo, meio sintético

‘Longos dias têm cem anos’, neste caso em particular têm-se demonstrado anos muito curtos, uma vez que passados 12 anos de governação deste executivo...

Jorge Sampaio: o futuro do passado?

A morte de Jorge Sampaio fez emergir um conjunto de memórias e debates acerca da importância desta figura ímpar da democracia Portuguesa e, também,...

O CDS de Chicão teve que aprender a superar obstáculos muito duros nestes últimos meses, aos poucos reorganizou-se e miraculosamente estão abordar e trabalhar sobre temas delicados na sociedade portuguesa, como por exemplo: enriquecimento ilícito. Afinal a direita cristã está viva, vai Chicão!

Por falar em novas ideias e novas abordagens…a CDU nestas autárquicas vai abordar a regionalização e a reposição de freguesias. Parece que a CDU foi buscar o antigo programa eleitoral de 2017. Camaradas, cuidado com o pó das prateleiras!

A discussão do orçamento açoriano deu que falar, muitas impressões nos mais diversos quadrantes políticos da região. O Bloco de Esquerda diz que o orçamento não tem ambição, o PAN critica a falta de medidas para o bem-estar animal. Afinal não é a terra das “vacas felizes”? O CHEGA diz que não está confortável com o orçamento, aqui o partido acusa a sua imaturidade política em não se demarcar num tema delicado que é a discussão do orçamento local. A ambição desmedida, que é uma notória característica deste partido, não se fez sentir nos Açores.

Ao contrário do que passa no CHEGA açoriano, no CHEGA “central”, Ventura expõe sempre os seus típicos desvaneios. Desta vez, quer atingir um milhão de votos nas próximas legislativas. Será loucura?

A propósito da chegada das comemorações do 25 de Abril, onde categoricamente apela-se aos seus ideais e memória, onde se celebra a libertação do povo português de um regime repressor e asfixiante, onde muitos sofreram, hoje podemos finalmente sentir outro tipo de libertação, que é a libertação da própria CULTURA. A Ministra da Cultura deve estar em êxtase com a abertura de teatros, auditórios e bibliotecas. Imagino o alívio do seu Ministério…

Consuma cultura e não se esqueça de celebrar o 25 de Abril. 

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido