0.7 C
Munique
13.5 C
Porto
OpiniãoPoliticArtes (#8)

PoliticArtes (#8)

Relacionados

Da falta de mão de obra concelhia …

Quando estamos perante um fenómeno que não conhecemos em toda a sua plenitude, mas sobre o qual há necessidade de intervir, é obrigatório, antes...

O pós eleições – legislativas de 2022 …

As eleições legislativas que se avizinham, apesar de serem muito importantes, não se constituem como um hipotético corte biográfico da democracia Portuguesa. Não obstante,...

A Chantagem do(s) Orçamento(s)

Temos assistido a uma parangona de informação acerca do processo do Orçamento de Estado para 2022. Este orçamento, fica marcado pelos “tiques” do PS e...

A infância é uma fase mágica das nossas vidas, que diga a INICIATIVA LIBERAL que ainda goza politicamente desse período singular de crescimento e aprendizagem. O IL leva a “infância” muito a sério, há dias atrás, alertou pela importância da abertura dos parques infantis. Já estou a ver a frase “A Infância é Sagrada, Libertem os Parques!”, num dos seus outdoors característicos.

Ferro Rodrigues evocou solenemente, os 200 anos da abolição da inquisição em Portugal, Moedas discorda com essa evocação, ele próprio está a ser alvo de uma perseguição ao estilo da inquisição por parte do PS no caso BES. Já muita gente ganhou eleições ao estilo da vitimização, continua Moedas!

Ao “palco” autárquico da cidade Invicta, chega o Feliz…ou melhor Vladimiro Feliz, candidato “laranja”, com muitas convicções e ilusões. Uma delas é querer “recuperar o ADN da cidade”, o que ele quererá dizer com isso? O Porto vai voltar à sua época industrial? O Porto Turístico vai desaparecer? Será que estará com saudades da cidade das ruas esburacadas de Rui Rio? Felicidades, senhor Feliz!

À parte das recentes tropelias verbais de Costa com Marcelo e com a oposição mais à esquerda sobre os polémicos apoios sociais, está o PAN, que vestiu a pele de agência secreta de detetives ambientalistas para sabotar o projeto para o novo aeroporto para o Montijo, é certo que o PAN não desiste das verdadeiras causas ambientais, mas que não desistam das autárquicas.

Antes da celebração do simbólico 25 de Abril, gostaria de assinalar os 45 anos da aprovação da Constituição da República Portuguesa e homenagear todos os seus intervenientes.

Boa semana! 

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido