9.9 C
Munique
15.8 C
Porto
DestaqueCasa Mortuária de Paços de Ferreira com condições insuficientes para receber defuntos

Casa Mortuária de Paços de Ferreira com condições insuficientes para receber defuntos

Presidente da Junta de Freguesia de Meixomil refere obras como inacabadas. Alexandre Costa, presidente da Junta de Freguesia de Paços de Ferreira, considera em dias de extremo frio ou calor, torna-se desconfortável para as famílias realizarem o luto.

Relacionados

Câmara Municipal de Paços e Ferreira obrigada à alteração de horários da Polícia Municipal por ordem do tribunal

Tendo em conta a situação pandémica nacional que Portugal está a atravessar, a Câmara Municipal de Paços de Ferreira procurou estipular horários de trabalho...

Motociclistas agendam manifestação contra inspeções às motos

Depois de Jorge Delgado, Secretário de Estado das Infraestruturas, ter avançado, a 20 de setembro, que o Governo está a preparar um diploma para...

MEGA emitiu seis milhões de vouchers para manuais gratuitos em Portugal

A plataforma MEGA emitiu seis milhões de vouchers para manuais gratuitos, dos quais 80% já foram resgatados e os livros na posse nos alunos. O...

Em declarações ao EMISSOR, fonte denunciou a não existência de condições na Casa Mortuária de Paços de Ferreira para a receção de defuntos em época de temperaturas altas.

Nesse sentido, a mesma fonte que solicitou anonimato avançou que, durante o funeral realizado no dia de ontem, sentiu-se a ausência destas condições.

Contactado pelo EMISSOR, Alexandre Costa, presidente da Junta de Freguesia de Paços de Ferreira, explica que “a casa mortuária pode receber os defuntos, a questão é, neste momento, em situações de calor ou frio extremo é complicado. Estamos a falar de um equipamento novo, inaugurado há 1 ano e meio e que, por exemplo, no dia de ontem, que foi o dia mais quente em Paços de Ferreira, houve um funeral e estava muito calor lá dentro. Um calor de 38º ou 40º graus, o que é bastante desconfortável para uma família que está ali a velar o corpo”.

Quando questionado sobre as condições atuais da Casa Mortuária de Paços de Ferreira, Alexandre Costa acrescentou “o ar condicionado está lá, o que acontece é que não se pode ainda ligar, porque não está em condições de ser ligado”, referindo ainda que “no início deste ano, tínhamos enviado um pedido especial para a Câmara, para tentar resolver a situação. Foi-nos dito que estavam à espera de uns documentos por parte da empresa que construiu a Casa Mortuária e que também era responsável pelo ar condicionado”.

O EMISSOR contactou, também, o Presidente da Junta de Freguesia de Meixomil, Serafim Leal, que presenciou o momento, avançando que “estava um dia quente. Dificilmente temos um dia com aquela temperatura”, acrescentando que “já tinha falado com o Dr. Paulo Ferreira e as obras não estão terminadas”.

“A obra foi ‘terminada’ em maio do ano passado, e nós andamos a chamar a atenção. Tem lá o ar condicionado, só que não tem luz que chegue”, esclarece Serafim Leal. O Presidente da Junta de Freguesia de Meixomil refere que a luz só poderá ser ligada quando a obra for dada como “terminada” e que, até lá, aguarda o “ok” da Câmara Municipal de Paços de Ferreira para tal.

O EMISSOR tentou entrar em contacto, ainda, com a Câmara Municipal de Paços de Ferreira, mas não obteve resposta atempadamente.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido