24.6 C
Munique
27.9 C
Porto
RegionalEx-presidente de lar de idosos em Matosinhos está acusado de 67 crimes...

Ex-presidente de lar de idosos em Matosinhos está acusado de 67 crimes de maus tratos a idosos

Relacionados

Paulo Bettencourt recordado em Paços de Ferreira

O local de trabalho que o viu crescer como profissional, serviu de sustento para homenagear o Arq. Paulo Bettencourt no seu 65º aniversário de...

Simão Rocha, Campeão Nacional de Natação Adaptada

Em Abrantes, no dia 2 e 3 de julho decorreu o Campeonato Nacional de Natação Adaptada que contou com a presença de 140 atletas...

Paços de Ferreira – Artigos contrafeitos apreendidos

No dia 1 de julho foi constituída arguida uma mulher de 43 anos e apreendidos vários artigos contrafeitos, no concelho de Paços de Ferreira...

O ex-presidente e um diretor de serviços da instituição “O Lar do Comércio”, situado em Matosinhos, estão acusados de 67 crimes de maus tratos a idosos, 17 desses crimes agravados por resultarem em morte.

A CMTV avança que a Procuradoria-Geral Distrital do Porto referiu que a “acusação refere que, entre janeiro de 2015 e fevereiro de 2020, os arguidos, no exercício das funções, violaram “as funções dos cargos que ocupavam e apesar de saberem que a instituição dispunha de meios económicos para o fazer, por razões de diminuição e contenção de gastos, deixaram de adquirir para os utentes do lar produtos de higiene e terapêuticos – como seja apósitos para escaras, colchões antiescaras, fraldas, suplementos proteicos -, contiveram gastos em recursos humanos – não contratando os médicos, funcionários e enfermeiros necessários para assegurarem o conforto e cuidados mínimos aos utentes -, assim como contiveram despesas na aquisição de equipamentos e de mobiliário”, avançou a procuradoria.

Os arguidos, de acordo com a Procuradoria-Geral Distrital do Porto, “atuaram com a consciência de que as suas condutas resultariam na falta de cuidados de saúde, na higiene na alimentação, na atenção, nos afetos, no entretenimento e socialização dos residentes acamados, determinando o agravamento do estado de saúde, provocando-lhes mazelas físicas e sofrimento físico e psíquico, atentando contra a dignidade da pessoa humana, como ocorreu em 50 dos utentes ali internados”, esclarece.

A procuradoria concluiu ainda que os arguidos atuaram com a consciência de que a omissão dos cuidados aos utentes poderia causar-lhes a morte, conformando-se com o resultado, resultando, dos maus tratos, 17 mortes dos utentes ali internados.

 

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido