19.3 C
Munique
18.6 C
Porto
RegionalMulher detida por suspeita de liderança de grupo criminoso no âmbito de...

Mulher detida por suspeita de liderança de grupo criminoso no âmbito de crimes informáticos na zona do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos

O grupo criminoso acedeu e subtraiu 50.000 euros de diversas contas bancárias

Relacionados

Conheça os candidatos do Partido Socialista à Câmara Municipal de Paredes

O Partido Socialista de Paredes apresentou a recandidatura de Alexandre Almeida à Câmara Municipal. O recandidato à Câmara Municipal de Paredes tem 47 anos e...

Vereador da Trofa ilibado e ex-líder do Trofense condenado por desviar subsídio

O tribunal de Matosinhos condenou, hoje, o antigo presidente do Trofense, Paulo Melro, por desviar para o futebol profissional subsídios camarários atribuídos ao desporto...

Meia maratona do Porto condiciona o trânsito a partir de sexta-feira

A 14ª meia maratona do Porto irá provocar, a partir de sexta-feira e, até domingo, o trânsito permanecerá condicionado, bem como o estacionamento, em...

A Polícia Judiciaria, no âmbito de um inquérito titulado pelo Ministério Público, realizou uma ação policial no Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia para cumprimento de “mandado de detenção e buscas domiciliárias, tendo como alvo um dos elementos centrais de um grupo criminoso que se dedica à presumível prática de crimes de bula informática, acesso ilegítimo e falsidade de informática”, refere a PJ em nota.

Em sequência a esta ação, foi apurado por parte da PJ que o grupo criminoso acedeu e subtraiu de diversas contas bancárias “valores a rondar os 50.000€, servindo-se de credenciais falsas de acesso ao ‘home banking’ dos lesados”.

No decurso da operação policial foi ainda apreendida documentação diversa relativa à atividade criminosa, de acordo com nota, “entre correspondência desviada aos lesados e ficheiros informáticos, mais de 4000 registos com informações confidenciais de particulares e empresas”.

Foi detida uma mulher de 39 anos, suspeita de liderar o grupo, sem antecedentes criminais, sobre a qual “impendem indícios de pelo menos 10 crimes de burla, 15 crimes de burla informática, 16 crimes de falsidade informática e 13 crimes de acesso ilegítimo”, refere nota da PJ.

A própria será presente à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório e aplicação das devidas medidas de coação.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido