DestaqueMutualismo enquanto movimento potenciador da entreajuda. Armanda Fernandez avança posicionamento do mutualismo

Mutualismo enquanto movimento potenciador da entreajuda. Armanda Fernandez avança posicionamento do mutualismo

Relacionados

Paredes: Homem morre após despiste de mota

Um homem, de 29 anos, morreu, no último sábado, dia 20 de julho, na sequência de um acidente na Rua da Ferrugenta em Lordelo,...

Paredes: Idosa morre após despiste de carro

Uma idosa, de 81 anos, morreu, na manhã do passado dia 17 de julho, quando o carro que conduzia se despistou e embateu contra...

Lousada: Homem é detido para cumprimento de pena de prisão efetiva

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lousada relatou através de um comunicado que deteve, no passado dia 9 de julho,...

Armanda Fernandez tem 54 anos e é natural de Freamunde, freguesia no concelho de Paços de Ferreira. Em 2021, recebeu o prémio de “Mutualismo e Solidariedade 2020”, atribuído durante o XII Congresso Nacional do Mutualismo, decorrido em Vila Nova de Gaia, no Dia Nacional do Mutualismo. O prémio, foi uma homenagem ao mérito do trabalho praticado por Armanda, bem como pelo contributo que esta deu à Associação Mutualista presente em Freamunde.

A União das Mutualidades Portuguesas existe desde 1984, ano de criação, sendo desde aí uma associação mutualista representativa do movimento mutualista português, o qual congrega várias Associações Mutualistas, entre elas, a de Freamunde.

Armanda Fernandez conta que o Movimento Mutualista “existe há muitos anos”, de acordo com a própria, “decorrente de dificuldades e de pestes, que levaram muitas localidades a precisarem de apoio”. A Presidente da Associação do Mutualismo de Freamunde refere que o mutualismo teve o seu auge no século XIX, tendo procurado “colmatar as necessidades das pessoas ao nível da saúde e da subsistência”, caracterizando o movimento como uma ação de entreajuda.

Ao longo de uma entrevista concedida ao EMISSOR, Armanda Fernandez conversa sobre o Mutualismo entre Mulheres, opinando sobre o posicionamento da mulher na sociedade, referindo quais as lutas que estas travam e que dificuldades tentam ultrapassar. Considera que a igualdade entre género ainda não é uma realidade e que a sociedade deve trabalhar para que esta seja alcançada, justificando que não só as mulheres têm que lutar pela igualdade, como também os homens.

A educação é considerada, por Armanda Fernandez, o ponto inicial e fundamental para trabalhar a ideia de igualdade entre género e divisão de responsabilidades, sendo que a mulher não deve ser, em momento algum, prejudicada pelas ideias implementadas, ao longo dos anos, pela sociedade e que a identificam como o pilar de estabilidade de um lar.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -