-1.4 C
Munique
6.7 C
Porto
RegionalPenafielDetido em Penafiel agrediu a companheira e manteve-a sob medicação para a...

Detido em Penafiel agrediu a companheira e manteve-a sob medicação para a impedir de fugir

O suspeito viveu um ano e meio com a vítima, de 30 anos, a qual foi alvo de violência física grave e ameaças de morte

Relacionados

Cinfães conta com nova unidade de saúde em Nespereira

As novas instalações da Unidade de Saúde de Nespereira, em Cinfães, entraram em funcionamento hoje e servirão 1725 utentes. A Administração Regional de Saúde do...

Felgueiras acolhe oficina de inovação para capacitar tecido empresarial

O Município de Felgueiras avança que, face ao contexto pandémico, que acrescentou grandes adversidades ao tecido empresarial e introduziu mudanças na lógica e comportamento...

GNR e Polícia Municipal de Paredes fiscalizam autocarros e transportes escolares

A GNR e a Polícia Municipal de Paredes procederam a uma ação de fiscalização conjunta aos autocarros e transportes escolares, na Escola Secundária e...

A GNR de Penafiel deteve, em flagrante, um homem de 40 anos por violência doméstica na passada terça-feira, no concelho de Penafiel.

A GNR apurou que o suspeito viveu durante um ano e meio com a vítima, companheira de 30 anos e quem nesse período, a mulher foi alvo de violência física grave com ameaças de morte.

Foi apurado que, num dos episódios de violência, a vítima teve de ser conduzida a uma unidade hospitalar para observação médica por apresentar vários hematomas e costelas partidas e, após ter tido alta hospitalar, refugiou-se em casa de familiares.

O agressor incidiu nas ameaças à vítima, obrigando-a a regressar a casa, onde a manteve sob efeitos de medicação para que não lhe fosse possível fugir da residência.

O suspeito, não possuidor de antecedentes criminais por ilícitos da mesma natureza, foi detido e presente no dia de ontem a primeiro interrogatório no Tribunal de Instrução Criminal de Penafiel, ficando sujeito às medidas de coação de proibição “de se aproximar , permanecer ou frequentar a habitação da vítima, proibição de contactar, por qualquer forma ou meio ou por interposta pessoa, com a vítima, os pais desta e as testemunhas identificadas, controlado por pulseira eletrónica, fixando-se um raio de inclusão no mínimo de 500 metros”, avançou, em nota, a GNR.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido