NacionalPortoPorto: Inteligência artificial está a ser testada para o diagnóstico precoce de...

Porto: Inteligência artificial está a ser testada para o diagnóstico precoce de cancro gástrico

Relacionados

Paredes: Homem morre após despiste de mota

Um homem, de 29 anos, morreu, no último sábado, dia 20 de julho, na sequência de um acidente na Rua da Ferrugenta em Lordelo,...

Paredes: Idosa morre após despiste de carro

Uma idosa, de 81 anos, morreu, na manhã do passado dia 17 de julho, quando o carro que conduzia se despistou e embateu contra...

Lousada: Homem é detido para cumprimento de pena de prisão efetiva

O Comando Territorial do Porto, através do Posto Territorial de Lousada relatou através de um comunicado que deteve, no passado dia 9 de julho,...

Uma equipa de investigadores do Porto, liderado pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) está a “desenvolver tecnologias baseadas em inteligência artificial para a realização de diagnósticos precoce do cancro gástrico”, avança o Sapotek.

O cancro em questão é considerado o terceiro mais mortal no mundo, sendo referido num comunicado avançado pelo INESC TEC que “o rastreio minimamente invasivo e a endoscopia gastrointestinal desempenham um papel primordial para um diagnóstico precoce, crucial para a melhoria das taxas de sobrevivência”.

Os investigadores consideram que, devido a fatores técnicos e cognitivos, o risco de um falso diagnóstico causado por erro humano é possível. A equipa em questão reúne especialistas da área de inteligência artificial e visão computacional do INESC TEC e da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e especialistas da área da gastrenterologia e endoscopia digestiva em oncologia do Instituto Português de Oncologia do Porto.

De acordo com o investigador Miguel Coimbra, o principal objetivo da equipa é criar tecnologias baseadas em visão computacional para analisar, de forma automática, os vídeos e imagens obtidos através de endoscopias gastrointestinais não invasivas.

O diretor de Serviço de Gastrenterologia do IPO do Porto e Professor Catedrático Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto considera que o projeto vem afirmar que a observação por endoscopia poderá melhorar através da inteligência artificial, uma vez que a qualidade da “endoscopia em Portugal é muito boa, mas em todo o mundo a procura da melhoria no ensino e na prática está a fazer-se também através da inteligência artificial”.

O projeto em questão, denominado de Computer Assisted Gastric Cancer Diagnosis (CAGED) está orçamentado em 240 mil euros e está a ser financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia nos próximos três anos.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -