RegionalPRR do Tâmega e Sousa irá manter investimentos estratégicos para a região

PRR do Tâmega e Sousa irá manter investimentos estratégicos para a região

Relacionados

Paços de Ferreira: Três homens detidos por furto qualificado

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Felgueiras deteve, no passado dia 22 de maio, três homens com...

Paços de Ferreira: Monte do Pilar recebe Prova de Trial

No próximo dia 26 de maio, o Monte do Pilar, em Penamaior, vai receber uma prova do Campeonato Nacional de Trial, inserida no calendário...

Santo Tirso: Motociclista morre após despiste na Serra da Agrela

Um homem de 33 anos morreu, no passado domingo, dia 19 de maio, na serra da Agrela, em Santo Tirso, após ter sofrido um...

Apresentado no dia de ontem, a versão final do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) pelo Governo à Comissão Europeia, mantém, de acordo com a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM Tâmega e Sousa) os investimentos estratégicos para a região do Tâmega e Sousa.

Estes investimentos correspondem a reivindicações da CIM do Tâmega e Sousa e dos municípios, alguns deles estando já previstos no Programa Nacional de Investimentos 2030. De acordo com a CIM do Tâmega e Sousa “a inclusão no PRR vai permitir acelerar a sua concretização e constituirá um dos maiores investimentos em infraestruturas rodoviárias na região”, refere em nota.

Entre as prioridades apresentadas no PRR para a região do Tâmega e Sousa, existe a garantia de um conjunto de investimentos na rede rodoviária da região que deverá ser executada até 2026. Estre estas prioridades, a CIM do Tâmega e Sousa destaca a “a construção do IC35, ligando Penafiel (EN15) a Entre-os-Rios, a construção da ligação de Baião à Ponte da Ermida (Resende), a construção da variante à EN211, de Quintã (Marco de Canaveses) a Mesquinhata (Baião), com ligação ao concelho de Cinfães, e a construção da variante à EN210, de Celorico de Basto à A7”, refere nota.

As intervenções estipuladas procuram organizar e gerir melhor o tráfego rodoviário, por forma a retirar os veículos das áreas urbanas e canalizando-o para corredores de tráfico rápido, de acordo com a CIM do Tâmega e Sousa, estes terão melhores condições de segurança, causando um menor impacto ao nível ambiental e minorando os impactos negativos que a ausência destas ligações têm provocado na rede rodoviária na região.

Aos investimentos já previstos pelo Plano Nacional de Investimentos, soma-se a construção da ligação da Zona Industrial de Cabeça de Porca, em Felgueiras, à A11 e a melhoria de acessibilidades à Área de Localização Empresarial de Lavagueiras, em Castelo de Paiva. Desta forma, será possível, de acordo com a CIM do Tâmega e Sousa, “alavancar o investimento já efetuado nas Áreas de Acolhimento Empresarial destes concelhos, constituindo o suporte mais adequado para garantir a entrada e saída de mercadorias de forma eficiente e económica”.

A concretização destes investimentos deverá assegurar a melhoria das acessibilidades na região do Tâmega e Sousa, permitindo “a redução do tempo de percurso nas áreas urbanas, desenvolver as condições de mobilidade, potenciando desta forma o crescimento económico e a criação de emprego na região”, refere nota.

Os investimentos deverão ser executados até 2026, com recursos a ascender os 16.644 milhões de euros, dos quais 13.944 milhões de euros correspondem a subvenções de 2.300 milhões de euros de empréstimos.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -