DestaquePenafiel - Restaurante alvo de buscas pela GNR

Penafiel – Restaurante alvo de buscas pela GNR

Relacionados

Cinfães: Homem detido por violência doméstica e posse de arma proibida

Um homem de 59 anos foi detido por posse de diversas armas e munições encontradas durante as diligencias de um processo de violência doméstica,...

Barcelos: Homem é detido depois de agredir policias

Um homem de 37 anos foi, na passada na quarta-feira, dia 17 de abril, detido pelo crime de agressão e injúria contra agentes da...

Santo Tirso: Homem que escondia droga num cofre é detido

A PSP deteve, na passada sexta feira, dia 12 de abril, um homem de 25 anos de idade por suspeita de tráfico de droga...

O restaurante “O Engaço”, em Penafiel, foi esta semana alvo de buscas pela GNR no âmbito de uma megaoperação que está a decorrer, pelas suspeitas de venda de carne que teria sido furtada. Esta operação contou com dezenas de militares da GNR e inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

Segundo o JN o estabelecimento comercial foi alvo de buscas no âmbito “de uma investigação a uma rede criminosa que se dedicava a furtos de residências e lojas”. As autoridades suspeitam que a organização furtava vários produtos, um deles sendo carne, para depois a vender a outros comerciantes.

No decorrer desta megaoperação que conta com 300 operacionais, que além de Penafiel, envolve os municípios de Paços de Ferreira, Gondomar, Vila Nova de Gaia e Matosinhos, foram detidas pelo menos 15 pessoas, 29 constituídas arguidas, e feitas apreensões de droga, um quilo de ouro, alimentos, 29 munições, dinheiro, notas falsas e três automóveis.

Suspeita-se que este grupo tenha cerca de 30 membros, com possíveis ligações familiares.

Em declarações à SIC Noticias o Tenente-Coronel Adriano Resende disse que o grupo sinalizava as residências, vigiavam-nas e no momento oportuno entravam e “roubavam tudo o que tivesse valor e fosse fácil de tirar”. No caso dos estabelecimentos comerciais, entravam, tiravam os produtos, como relógios, roupas de desporto, consolas de jogos e ate produtos de alimentação, como bacalhau, picanha e salmão e saiam sem pegar.

A GNR suspeita que este grupo terá cerca de 30 pessoas, com possíveis ligações familiares, e já deu conta de “57 furtos em residências e 94 em estabelecimentos comerciais”, contudo a Guarda Nacional Republicana acredita que terão sido muitos mais.

 

 

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -