9.6 C
Munique
16.9 C
Porto
NacionalInspeção das motas será obrigatória a partir de 1 de janeiro de...

Inspeção das motas será obrigatória a partir de 1 de janeiro de 2022

Em janeiro de 2022 irá arrancar a inspeção obrigatória nas motas com mais de 125 cc, quando termina o prazo para a transposição da legislação europeia para Portugal. Centros de inspeção alertam falta de classificação de deficiências e cursos de qualificação dos inspetores.

Relacionados

PCP pede esclarecimentos à ARS Norte pela demissão dos responsáveis pela Urgência Metropolitana de Psiquiatria do Porto

O Partido Comunista Português (PCP) avançou, ontem, uma proposta para realizar uma audição da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte) relativa à...

Milhares de portugueses apoiam greve aos combustíveis nas redes sociais

Um grupo criado no Facebook há 48 horas, intitulado de “Greve aos combustíveis”, conta já com mais de 500 mil membros. Na descrição é...

Jovem pacense em Erasmus morreu na Polónia

Na Varsóvia, capital da Polónia, foi encontrado o corpo de uma jovem natural de Penamaior, freguesia de Paços de Ferreira, numa varanda de uma...

O Secretária de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, avançou ao Jornal de Negócios, esta segunda-feira, que “a partir de 1 de janeiro de 2022, todas as motas de 125 centímetros cúbicos para cima passam a ter de ir à inspeção”.

O prazo para a transposição diretiva europeia, a qual determina a obrigatoriedade da inspeção, termina a 31 de dezembro do presente ano. Isto é, a partir de 1 de janeiro de 2022, cerca de 450 mil motociclos irão ter de realizar inspeções periódicas obrigatórias, avança o JN.

A legislação não abrange os veículos de duas rodas com 50 cc.

Em declarações ao mesmo jornal, o Secretário de Estado refere ainda que “o decreto-lei está em circuito legislativo e vai ser aprovado em conselho de ministros em breve”, esclarece.

De acordo com o JN, a alteração em questão entra em vigor “quase 10 anos depois de o governo de Passos Coelho ter aprovado, em decreto-lei, a inspeção obrigatória de motociclos, que incluía triciclos e quadriciclos com cilindrada superior a 250 cc”, refere.

Assim, com a inspeção das motas à vista, os centros de inspeção que investiram milhões para se prepararem para o processo, alertam estar em falta a “classificação das deficiências e que faltam os cursos de qualificação dos inspetores”.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido