1.4 C
Munique
6.4 C
Porto
NacionalMotociclistas agendam manifestação contra inspeções às motos

Motociclistas agendam manifestação contra inspeções às motos

No próximo dia 16 de outubro, milhares de motociclistas vão para a rua no Porto, Lisboa e Faro.

Relacionados

GNR e Polícia Municipal de Paredes fiscalizam autocarros e transportes escolares

A GNR e a Polícia Municipal de Paredes procederam a uma ação de fiscalização conjunta aos autocarros e transportes escolares, na Escola Secundária e...

Freguesias de Amarante terão um Balcão SNS24 para apoiar os Centros de Saúde

O Município em parceria com o ACES Baixo Tâmega prepara-se para instalar Balcões do SNS24 em Ansiães e Gondar, criando condições de maior proximidade...

GNR apreendeu 5 mil artigos pirotécnicos em Paredes

A GNR de Penafiel apreendeu, na passada quarta-feira, cerca de 5 mil artigos pirotécnicos e identificou um homem de 31 anos pela venda de...

Depois de Jorge Delgado, Secretário de Estado das Infraestruturas, ter avançado, a 20 de setembro, que o Governo está a preparar um diploma para a transposição, a partir de janeiro de 2022, da diretiva europeia que preconiza a obrigatoriedade de inspeções técnicas sobre os veículos de duas rodas, muitos motociclistas mostraram a sua indignação e realizarão, a 16 de outubro, uma manifestação por uma medida que apelidam como “negócio”.

Ao Moto Jornal, António Francisco, membro do Grupo de Ação Motociclista (GAM) e dirigente da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), referiu, num post publicado no Facebook que “as inspeções são “supostamente” uma medida que visa combater a sinistralidade rodoviária e é apenas desse modo que a medida se justifica sendo, inclusive, o único argumento usado por quem as quer implementar, ou seja, combater a sinistralidade. Acontece que, segundo estudos científicos feitos na Europa, apenas 0,3% (sim, zero vírgula 3 por cento) dos acidentes com motos são provocados por “falha mecânica”. Obviamente 0,3% é um valor de tal modo irrelevante que não justifica a relação custos/mais valias que as IPO representam para os motociclistas”, avançou.

António Francisco acrescentou, ainda, que o “problema da sinistralidade rodoviária reside no fator “falha humana”, que se encontra em 96% dos acidentes, em muitos casos conjugado com o “fator rodovia”, também culpado de muitos sinistros. Acontece que desde sempre a sinistralidade rodoviária tem sido tratada com medidas meramente políticas e de resposta a lobys e nunca se assumiram soluções de fundo, que na maioria dos casos implicam investimentos financeiros por parte do Estado, como é o caso da melhoria na conceção e manutenção da rede rodoviária”, explica.

De acordo com o Moto Jornal, já tinha surgido, em 2018, o rumor de que a regulamentação das inspeções às motos estariam “para ver a luz do dia”, e milhares de motociclistas organizaram-se em manifestações contra uma medida que “aos olhos do deputado do PCP e também motociclistas, Manuel Tiago, não fazia sentido”, avança, ainda, o jornal.

Assim, no próximo dia 16 de outubro, de acordo com a página do Facebook, no próximo “dia 16 de outubro vamos defender o motociclismo da ameaça das inspeções. Vamos fazê-lo no Porto, em Lisboa, e em Faro. Uma vez mais os motociclistas são chamados a defender as motos”, agenda.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido