9.6 C
Munique
16.9 C
Porto
NacionalMotociclistas agendam manifestação contra inspeções às motos

Motociclistas agendam manifestação contra inspeções às motos

No próximo dia 16 de outubro, milhares de motociclistas vão para a rua no Porto, Lisboa e Faro.

Relacionados

PCP pede esclarecimentos à ARS Norte pela demissão dos responsáveis pela Urgência Metropolitana de Psiquiatria do Porto

O Partido Comunista Português (PCP) avançou, ontem, uma proposta para realizar uma audição da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte) relativa à...

Milhares de portugueses apoiam greve aos combustíveis nas redes sociais

Um grupo criado no Facebook há 48 horas, intitulado de “Greve aos combustíveis”, conta já com mais de 500 mil membros. Na descrição é...

Jovem pacense em Erasmus morreu na Polónia

Na Varsóvia, capital da Polónia, foi encontrado o corpo de uma jovem natural de Penamaior, freguesia de Paços de Ferreira, numa varanda de uma...

Depois de Jorge Delgado, Secretário de Estado das Infraestruturas, ter avançado, a 20 de setembro, que o Governo está a preparar um diploma para a transposição, a partir de janeiro de 2022, da diretiva europeia que preconiza a obrigatoriedade de inspeções técnicas sobre os veículos de duas rodas, muitos motociclistas mostraram a sua indignação e realizarão, a 16 de outubro, uma manifestação por uma medida que apelidam como “negócio”.

Ao Moto Jornal, António Francisco, membro do Grupo de Ação Motociclista (GAM) e dirigente da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), referiu, num post publicado no Facebook que “as inspeções são “supostamente” uma medida que visa combater a sinistralidade rodoviária e é apenas desse modo que a medida se justifica sendo, inclusive, o único argumento usado por quem as quer implementar, ou seja, combater a sinistralidade. Acontece que, segundo estudos científicos feitos na Europa, apenas 0,3% (sim, zero vírgula 3 por cento) dos acidentes com motos são provocados por “falha mecânica”. Obviamente 0,3% é um valor de tal modo irrelevante que não justifica a relação custos/mais valias que as IPO representam para os motociclistas”, avançou.

António Francisco acrescentou, ainda, que o “problema da sinistralidade rodoviária reside no fator “falha humana”, que se encontra em 96% dos acidentes, em muitos casos conjugado com o “fator rodovia”, também culpado de muitos sinistros. Acontece que desde sempre a sinistralidade rodoviária tem sido tratada com medidas meramente políticas e de resposta a lobys e nunca se assumiram soluções de fundo, que na maioria dos casos implicam investimentos financeiros por parte do Estado, como é o caso da melhoria na conceção e manutenção da rede rodoviária”, explica.

De acordo com o Moto Jornal, já tinha surgido, em 2018, o rumor de que a regulamentação das inspeções às motos estariam “para ver a luz do dia”, e milhares de motociclistas organizaram-se em manifestações contra uma medida que “aos olhos do deputado do PCP e também motociclistas, Manuel Tiago, não fazia sentido”, avança, ainda, o jornal.

Assim, no próximo dia 16 de outubro, de acordo com a página do Facebook, no próximo “dia 16 de outubro vamos defender o motociclismo da ameaça das inspeções. Vamos fazê-lo no Porto, em Lisboa, e em Faro. Uma vez mais os motociclistas são chamados a defender as motos”, agenda.

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor deixe o seu comentário
Por favor insira o seu nome

- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido